Brasil e EUA fazem acordo de certificação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de abril de 2004 as 19:12, por: cdb

Brasil e Estados Unidos selaram nesta sexta-feira um acordo de cooperação na aviação para eliminar entraves burocráticos no processo de certificação de aeronaves produzidas num país e vendidas no outro.

Na prática, os aviões fabricados no Brasil com destino aos EUA só precisarão ter o aval de autoridades nacionais para poder entrar no mercado norte-americano. O mesmo acontecerá com as aeronaves importadas dos Estados Unidos.

“Isto significa que nós vamos aceitar a certificação brasileira”, afirmou a jornalistas Marion Blakey, da Federal Aviation Administration (FAA), dos EUA.

Do lado brasileiro, o acordo beneficia a Embraer, quarta maior fabricante mundial de aviões, que até então tinha que obter certificados junto a reguladores do Brasil, dos EUA e da Europa para que seus novos modelos de aeronaves iniciassem vôos comerciais.

Por meio da assessoria de imprensa, a Embraer informou apenas que “considera que o acordo contribuirá de forma positiva para cooperação entre o Brasil e os Estados Unidos no campo aeronáutico”.

Em comunicado, a FAA informa que a parceria resulta “na redução geral de custos de certificação”.

Blakey, da FAA, chegou ao Brasil na quarta-feira para concluir o acordo. A representante da FAA fez elogios à Embraer, afirmando que trata-se de uma empresa de “força global”.

A fabricante brasileira trabalha atualmente no desenvolvimento de uma nova família de aviões, com jatos com capacidade para entre 70 e 118 passageiros. O primeiro modelo, o Embraer 170, começou a ser entregue aos clientes no mês passado, após atraso de meses na certificação.