Bovespa sobe 1% com alívio nos juros e ainda animada com Fed

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de fevereiro de 2005 as 19:48, por: cdb

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou em alta nesta quinta-feira, praticamente na máxima do dia, com investidores ainda reagindo positivamente ao resultado da reunião do Federal Reserve.

Na véspera o banco central norte-americano elevou o juro em linha com o esperado, em 0,25 ponto, para 2,5 % ao ano, e emitiu um comunicado com o mesmo teor do divulgado após a reunião de dezembro, indicando que o ritmo moderado de aperto monetário deve continuar, mantendo o fluxo de recursos para mercados emergentes.

– O Fed foi um bom alívio, principalmente o ‘statement’, parece que as novas altas não devem ser maiores que 0,25 ponto –  comentou Gustavo Medina, sócio-diretor da Método Investimentos.

As projeções de juros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) também contribuíram para o ânimo no mercado de ações. As taxas caíram nesta quinta-feira, ajudadas pela queda acima da esperada da inflação ao consumidor em São Paulo.

O DI mais curto –março 2005– fechou estável em 18,51 % ao ano, enquanto o de DI abril 2005 recuou de 18,81 para 18,77 %. O contrato mais negociado e que expira na virada do ano –janeiro 2006– saiu de 18,95 para 18,81 %.

Analistas também comentaram como fator positivo o discurso do presidente George W.Bush na véspera, no qual prometeu reduzir os gastos de seu governo.

O Ibovespa subiu pelo segundo dia seguido e encerrou em alta de 1,09 %, a 24.873 pontos, depois de cair 7 % em janeiro e outros 0,83 % na terça-feira.

No meio da sessão dados econômicos nos Estados Unidos chegaram a fazer a bolsa operar no vermelho, mas o mercado se recuperou ao longo da tarde. Mas apesar do bom desempenho dos últimos dias, analistas ainda não apostam em retomada da tendência de alta.

“A gente ainda não consegue ver uma alta consistente da bolsa porque os riscos estão aí e não são pequenos”, avaliou a analista da corretora SLW Kelly Trentin, mencionando preocupação do mercado com os juros no Brasil e nos Estados Unidos.

O destaque de alta dentre os papéis que compõem o Ibovespa foram as ações da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), que dispararam 10,14 %, diante da notícia de que o governo pretende colocar a companhia no Programa Estadual de Desestatização para capitalizar a Cesp, cujos papéis registraram a segunda maior alta, de 8,51%.

As preferenciais da Telemar, as mais líquidas do pregão, avançaram 1,35 %, para 37,55 reais.