Botafogo perde por 4×1 no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 17 de outubro de 2002 as 23:43, por: cdb

Bastaram 13 minutos para o Vitória marcar dois gols e praticamente garantir três pontos na partida contra o Botafogo, nesta quinta-feira, no Caio Martins. Com grande atuação, o time baiano ganhou por 4 x 1, mantendo o tabu de 11 anos sem perder para o Glorioso em Campeonatos Brasileiros e subindo para o sétimo lugar na atual competição, com 27 pontos.

O Botafogo, por sua vez, perdeu a invencibilidade que se mantinha desde a estréia do técnico Ivo Wortmann – três vitórias e dois empates em cinco jogos. De quebra, complicou-se na tabela, permanecendo na 17ª posição, com 22 pontos, três à frente da zona de rebaixamento.

Para surpresa de todos, o Vitória começou partindo para cima e encurralando o time da casa. Logo aos 40 segundos, Aristizábal arriscou de fora da área e Carlos Germano fez defesa difícil. Aos 3min, a pressão deu resultado: Allann Delon recebeu ótimo passe de Ramalho e chutou com categoria no ângulo esquerdo, abrindo o placar.

O desacerto do Botafogo desesperou Ivo Wortmann, que tentou, aos berros, acertar a marcação. Ficou rouco em vão… Aos 9min, os cariocas até tiveram a chance de empatar, após grande jogada de Reinaldo, mas a conclusão de Esquerdinha desviou na zaga. Quatro minutos depois, Aristizábal teve melhor sorte, acertando a cabeçada depois de falta cobrada pela esquerda.

Com o segundo gol, o Vitória diminuiu o ritmo e os alvinegros, como não poderia deixar de ser, lançaram-se ao ataque. Lúcio, que voltou após três partidas afastado por lesão, criava boas jogadas, mas não encontrava um parceiro à altura para dialogar. Resultado: a zaga baiana conseguia afastar o perigo com certa facilidade.

Aos 36min, Galeano, de cabeça, finalmente obrigou o goleiro Jean a trabalhar. Só que a resposta do Vitória foi fatal. Aos 40, Allann Delon teve facilidade para partir da direita para o meio, tabelou com Elson e fuzilou Carlos Germano: 3 x 0.

A essa altura, a torcida já perdera a paciência com Esquerdinha, perseguindo com vaias o meia que atuou na ala esquerda. Aos 42min, o Botafogo teve mais uma oportunidade de balançar a rede. Após ótima jogada de Lúcio pela esquerda, Ademílson completou de primeira e Jean fez milagre, espalmando para escanteio.

Tentando contornar o desastre, Ivo Wortmann fez duas alterações para o segundo tempo. Rodrigão substituiu Rodrigo Fernandes, com Ademílson passando para a ala direita, e Dudu entrou na vaga de Esquerdinha. Deu resultado, e o Glorioso chegou a empolgar a torcida com uma reação fulminante.

Aos 6min, Lúcio interceptou tiro de Reinaldo e bateu no canto esquerdo, diminuindo a vantagem baiana. O Botafogo se empolgou e começou a colecionar chances perdidas. Aos 9min, Galeano completou rente à trave direita, após toque de cabeça de Ademílson. Aos 14, Sandro, de falta, outra vez tirou tinta do poste direito.

Com Ademílson infernizando pela direita, a equipe da casa continuou chegando perto do segundo gol. Aos 15, o atacante fez assistência para Rodrigão, que errou o alvo por muito pouco. Dois minutos depois, Galeano mandou bala de longe e Jean salvou como pôde. No ataque seguinte, Rodrigão, livre na pequena área, tocou de peito por cima do travessão.

Para desespero dos botafoguenses, foi o Vitória que encontrou o caminho da rede. Aos 22min, Fernando cobrou córner pela direita e Aristizábal nem precisou sair do chão para cabecear. Os alvinegros sentiram o golpe, menos Ademílson. Aos 29, o improvisado ala fez jogada de craque, penetrou na área e disparou tiro à queima-roupa. Não era mesmo dia do Botafogo: Jean operou milagre, evitando o golaço.

Daí para a frente, o Vitória soube administrar o resultado e ainda levou perigo a Carlos Germano, normalmente pelos pés de Allann Delon, o melhor jogador rubro-negro na partida. Ao Botafogo, resta afiar os cascos para enfrentar o Fluminense, daqui a dez dias.

BOTAFOGO 1 x 4 VITÓRIA

Botafogo
Carlos Germano, Odvan, Sandro (Gilmar) e Allan; Rodrigo Fernandes (Rodrigão), Carlos Alberto, Galeano, Reina