Bombardeios contra Basra mata cinqüenta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 22 de março de 2003 as 14:22, por: cdb

Os bombardeios deste sábado deixaram cerca de 50 mortos em Basra, entre eles um russo, afirmou o correspondente da rede de televisão do Qatar Al-Jazeera.

Este jornalista disse que havia obtido esse número nos hospitais de Basra, a grande cidade do sul do Iraque em torno da qual continuam lutando as tropas britânico-americanos na tarde de sábado. Segundo um jornalista, que citou fontes médicas, também havia uma centena de feridos.

Os cadáveres das vítimas, que morreram em Basra e nas proximidades, foram levados para o hospital Al Yumhuriya, acrescentou.

O jornalista Mohammad al Abdalá, único correspondente estrangeiro presente em Basra, afirmou que durante os dois últimos dias os bombardeios só alcançaram a periferia da cidade, mas nesse sábado haviam atingido objetivos na cidade.

Os sobrevôos da aviação começaram neste sábado por volta das 11h30 (05h30 no horário de Brasília) e as bombas alcançaram primeiro a periferia sul antes de se dirigirem contra objetivos na cidade, afirmou o jornalista. As ruas da cidade estavam quase desertas, disse.

As forças britânicas tentam negociar uma “rendição pacífica” das forças iraquianas que estão lutando em Basra, afirmou na tarde de sábado um oficial britânico, o coronel Al Lockwood.

Os britânicos “estão consolidando suas posições em torno de Basra”, declarou uma porta-voz militar britânica, Emma Thomas. Além disso, ela reiterou que a 51ª divisão do exército iraquiano, estacionada perto de Basra, havia se rendido, o que Bagdá negou. Emma, no entanto, acrescentou que a resistência prosseguia na cidade de Basra.

O correspondente da Al-Jazeera também afirmou que entre os 50 mortos havia uma família e um menino de dois anos, embora não tenha dito se havia militares entre as vítimas.