Bomba explode em McDonald’s do Rio mas nenhum terrorista assume autoria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 18 de outubro de 2001 as 09:46, por: cdb

Uma bomba de alto poder de destruição explodiu, na madrugada desta quinta-feira, em frente à lanchonete McDonald’s, na esquina da Avenida Rio Branco com a Rua do Rosário, Centro do Rio de Janeiro. As funcionárias Flávia de Souza Nunes e Márcia Cristina da Silva Garcia estavam no interior da loja e por pouco não se feriram na explosão. Elas disseram que estavam no segundo andar da lanchonete fazendo a contabilidade das vendas, quando ouviram um barulho. As duas desceram para ver o que era, não encontraram nada e voltaram ao andar de cima para terminar o trabalho. Em seguida, houve a explosão que destruiu o interior da lanchonete.

Segundo o perito Egberto Martins Cabral, do Esquadrão Anti-Bombas, foram encontrados no interior da loja pedaços de metal, prego e papelão e restos de uma mochila queimada.

Ele afirmou que a bomba de era grande poder explosivo e que se alguém tivesse passado pelo local no momento da explosão poderia ter morrido. A explosão atingiu um raio de 50 metros da loja, quebrando vidraças de prédios vizinhos. Nenhum grupo terrorista assumiu a autoria do atentado.

Dois funcionários do Consulado Geral dos Estados Unidos deixaram por volta das 9h30 a loja do McDonald’s. Eles se recusaram a dar entrevistas, mas disseram a representantes da rede de lanchonetes que estavam no local não apenas porque o McDonald’s é uma multinacional norte-americana, mas porque têm interesse em qualquer ação violenta que aconteça na cidade.