Bolsa fecha em alta após discurso de Palocci

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de março de 2006 as 19:53, por: cdb

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou com discreta alta nesta sexta-feira, em um mercado extremamente receoso em relação à reunião do Federal Reserve no início da semana que vem, a primeira presidida pelo novo chairman, Ben Bernanke. Esse sentimento foi refletido no volume financeiro da sessão, 1,59 bilhão de reais, bem abaixo da média diária de janeiro e fevereiro, de 2,44 bilhões de reais. Foi o segundo menor giro do ano.

A expectativa do mercado é que o banco central dos Estados Unidos anuncie elevação de 0,25 ponto no juro, para 4,75% ao ano. A dúvida é o que acontecerá com a taxa depois disso e se a atual forte liquidez internacional continuará. O principal indicador da bolsa paulista encerrou o dia com alta de 0,28%, a 37.577 pontos, em linha com o desempenho do índice norte-americano Dow Jones, que avançou 0,09%. No acumulado da semana, no entanto, o Ibovespa recuou 1,24%.

O mercado tem acompanhado de perto o rendimento dos títulos de 10 anos do Tesouro dos EUA, que teve uma semana bastante volátil e estava em 4,673% no fim desta sexta-feira, frente aos 4,74% de quinta-feira. Quanto maior a taxa, menor a atratividade de investimentos mais arriscados.

Repercussão

Durante o pregão desta sexta-feira, o mercado acompanhou de perto o discurso do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, na Câmara Americana de Comércio, em São Paulo. Ele garantiu que a política econômica será mantida, mas não acabou com incertezas de que pode deixar o cargo. Foi a primeira aparição pública do ministro desde que o caseiro Francenildo dos Santos Costa afirmou que Palocci frequentava uma mansão em Brasília onde supostamente eram realizadas festas com garotas de programa e distribuição de dinheiro ilícito.

– Eu acho que ele foi muito bem, falou o que tinha que falar. Reduz a dúvida (sobre sua saída) pelo tom firme do discurso. Hoje o mercado só não apresenta uma cara mais positiva porque ainda existe incerteza política, e tem esse evento fundamental, que é o Fed, na terça-feira – avaliou Alexandre Sant’Anna, analista da Arx Capital Management.

Na bolsa paulista, o destaque do pregão foi Companhia Vale do Rio Doce, com giro praticamente igual ao do papel mais negociado, Petrobras, e alta de 2,44%, depois que o Conselho de Administração aprovou mais um desdobramento de ações.