Blix diz que desarmamento do Iraque vai levar meses

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de março de 2003 as 15:56, por: cdb

O inspetor-chefe da ONU, Hans Blix, disse nesta sexta-feira que ainda levaria meses para que o Iraque desarmasse e também para que os inspetores conseguissem verificar o desarmamento do país.

“Não vai levar anos, ou semanas, mas meses” disse Blix ao Conselho de Segurança da ONU, em Nova York.

Blix afirmou que depois de um período em que a cooperação do Iraque com as inspeções foi relutante, o “nível de cooperação melhorou” e que o país realizou um “substancial desarmamento”.

Mas ele afirmou que o importante é saber quantas perguntas estão sendo respondidas pelo processo de inspeções e disse estar desapontado com o quantidade de evidência documental que o Iraque apresentou sobre seu programa de armas.

Cooperação

“Foi decepcionante que a declaração do Iraque em 7 de dezembro não trouxe evidências documentais. Eu espero que os esforços nesse sentido, incluindo a criação de uma comissão governamental, tragam resultados significativos”, afirmou.

Hans Blix disse que os inspetores enfrentaram poucas dificuldades de acesso, talvez graças à pressão internacional.

O inspetor-chefe também cobrou do Iraque o fornecimento de informações sobre qualquer instalação subterrânea proibida – por ora, nenhuma foi descoberta.

De acordo com Blix, é difícil entrevistar indivíduos sobre programas de arma sem o risco de que eles sofram pressão de autoridades iraquianas.

Entrevistas

Entretanto, ele acrescentou, as entrevistas têm sido úteis.

“No último mês, o Iraque forneceu nomes de várias pessoas que podem ser fontes relevantes de informação, em particular pessoas que participaram de várias fases da destruição unilateral de armas biológicas e químicas e mísseis proibidos em 1991”, afirmou.

O Iraque tentou convencer os fiscais da ONU de que o alcance dos mísses Al-Samoud 2 estava dentro dos limites permitidos, mas os inspetores discordaram e o país começou a destruição dos armamentos, segundo Blix.

Mas ele notou que não houve destruição de nenhum míssil nesta sexta-feira e disse esperar que a interrupção tenha sido temporária.

Com relação a eventual posse pelo Iraque de armas biológicas, Blix disse que país recentemente forneceu mais papéis sobre antraz e que está se esforçando para dar mais informações sobre a destruição de armas biológicas em 1991.