Bispos católicos franceses condenam filme de Gibson

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 31 de março de 2004 as 13:40, por: cdb

Bispos da Igreja Católica francesa condenaram oficialmente o controverso filme de Mel Gibson, “A Paixão de Cristo”, que estreou na quarta-feira na França. Segundo eles, o longa-metragem é potencialmente anti-semita e uma distorção da doutrina do cristianismo.

Em um raro comunicado sobre um filme comercial, a conferência de bispos declarou que Mel Gibson, um católico tradicionalista, fez um trabalho que pode não ser anti-semita, mas “pode ser usado para apoiar opiniões anti-semitas”.

A França tem sido hostil em relação ao filme que fala sobre as últimas 12 horas da vida de Jesus Cristo, com críticos de cinema e líderes da Igreja denunciando a extrema violência das cenas de castigo e crucificação.

Na segunda-feira, uma corte de Paris negou um pedido de três irmãos judeus de proibir o longa-metragem nos locais onde ele possa incitar violência anti-semita. O país tem lutado para conter o crescimento de ataques contra judeus há três anos.

Vários líderes judaicos nos Estados Unidos acusaram o filme de ser anti-semita, mas a tentativa de proibi-lo na França parece ter sido o único ataque legal contra o trabalho.

O longa exibido em 500 cinemas franceses foi proibido para crianças menores de 12 anos. “Não é paradoxal que um filme sobre Jesus não possa ser exibido para crianças?”, questionaram os bispos.