Bin Laden é amado e odiado nos mundos muçulmano e ocidental

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de outubro de 2001 as 17:11, por: cdb

O dissidente saudita Osama bin Laden, nascido na Arábia Saudita, e sua rede de extremistas muçulmanos são os maiores suspeitos de serem os responsáveis pelos ataques do último dia 11 de setembro contra os EUA.

Bin Laden ganhou experiência nos anos 80 comandando guerrilheiros árabes custeados pela CIA (agência de inteligência dos EUA) para lutar ao lado de guerrilhas afegãs contra as forças soviéticas que ocupavam o país.

A guerra dele contra os EUA parece ter começado depois de os EUA estacionarem tropas na Arábia Saudita durante a Guerra do Golfo (1991), desencadeada pela invasão do Kuwait pelo Iraque.

Bin Laden achou que a presença dos norte-americanos ofendia o Islã. Ele também responsabiliza os EUA pelo sofrimento do povo palestino devido ao apoio dado pelos norte-americanos a Israel.

O HOMEM

– Sétimo filho de um empresário saudita que fez fortuna, Osama bin Laden nasceu em 1957. O pai dele morreu quando o garoto tinha 13 anos. Aos 17 anos, Bin Laden casou-se pela primeira vez com uma prima síria.

Seu envolvimento com o Afeganistão começou quase imediatamente depois da invasão soviética de 1979, com uma viagem para o Paquistão, onde se encontrou com refugiados e líderes da oposição. Bin Laden voltou para seu país e começou a levantar fundos para a resistência afegã.

O grupo de Bin Laden, Al Qaeda, é um ponto de atração para muçulmanos radicais que defendem a instalação de governos fundamentalistas em seus países e que se uniram por seu ódio comum dirigido aos EUA, a Israel e a governos muçulmanos moderados.