Bicho por vitórias vai aumentar no Flamengo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 5 de novembro de 2002 as 01:11, por: cdb

Na reapresentação dos jogadores na manhã desta segunda-feira, na Gávea, o Presidente Hélio Ferraz fez uma preleção e falou com toda sinceridade sobre a atual situação financeira do Flamengo. O presidente disse que até o dia 15 próximo colocará os salários em dia até o pagamento de outubro e demais prêmios. E, além disso, prometeu aumentar os prêmios, progressivamente, nos três jogos que ainda restam ao Flamengo no Campeonato Brasileiro-2002.

No dia 10, uma vitória sobre a Portuguesa, no Canindé, vai valer R$ 1.500,00. Uma vitória sobre o Palmeiras, dia 13, no Parque Antárctica, vai valer R$ 2.000,00, e no dia 17, no Maracanã, diante do Guarani, valerá R$ 2.500,00.

Ganhando esses 9 pontos a situação do Flamengo será tranqüila e não dependerá da máquina de calcular, pois com um mínimo de 30 pontos e 8 vitórias uma equipe foge do fantasma do rebaixamento.

No momento, o Flamengo tem 25 pontos em 22 jogos e 7 vitórias. Ocupa a 20ª colocação. Com mais cinco pontos desses nove que tem para disputar, o Flamengo garantirá a permanência na primeira divisão brasileira, pois chegará aos 30 pontos e 8 vitórias.

As férias vão começar no dia 18, caso não haja nenhum convite para amistoso pelo interior do Brasil. E aí então a Diretoria vai analisar com o técnico Evaristo a situação do elenco com a indicação dos jogadores que terão volta garantida em 2003 e a possível relação de reforços para o próximo ano.

Pagamento
– O presidente Hélio Ferraz conversou abertamente com os jogadores e a Comissão Técnica para explicar que o faturamento do clube é bem aquém dos compromissos mensais. O presidente chegou a citar que a arrecadação chega a R4 2,3 milhões, mas os pagamentos chegam quase ao dobro.

– Mas posso dizer a vocês que vamos colocar os salários em dia, pagando outubro inclusive, até o dia 15 de novembro. Vamos colocar em dia a premiação e queremos todos os funcionários com os salários pagos – disse o presidente.