Berlusconi ataca tribunal durante depoimento sobre corrupção

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 17 de junho de 2003 as 16:43, por: cdb

O premiê e ex-magnata das comunicações da Itália, Silvio Berlusconi, atacou nesta terça-feira o Tribunal de Milão e desautorizou a principal testemunha de acusação, durante um julgamento que acusa o acusa de corrupção.

“É um processo sem corpo, sem arma, sem causa”, disse Berlusconi (alegando inexistência de provas). O chefe de Estado italiano é acusado de ter subornado um grupo de juízes de Roma.

– Não entendo como este processo surgiu, tampouco as provas. É tudo fruto de uma fantasia que visa cobrir-me com uma montanha de lodo – acrescentou.

Berlusconi responde a um processo de suposta corrupção de vários juízes que se colocaram a favor da compra, por parte do Fininvest (o maior grupo privado de televisão do país, de propriedade de Berlusconi), em 1985, da estatal alimentícia BSE.

O processo contra Berlusconi está baseado em parte nas confissões de Stefania Ariosto, ex-namorada de um dos advogados mais próximos ao premiê, que contou como funcionava o sistema de subornos no Tribunal de Roma.

Paralelo ao processo, Berlusconi articula a aprovação no Parlamento de uma lei que lhe conceda imunidade.

A lei, que concede imunidade aos chefes de Estado e de governo, assim como para os presidentes da Câmara, do Senado e da Corte Judicial, será votada nesta terça-feira ou na próxima quarta-feira pela Câmara dos Deputados – onde o governo tem maioria.

Polêmica

A vida de Berlusconi é rodeada de polêmica. Ele enfrenta processos por financiamento de operações ilegais, lavagem de dinheiro e corrupção de magistrados.

Berlusconi é acusado ainda de fazer fortuna com a ajuda da máfia italiana.

Filho de bancário de Milão, aos 23 anos ingressou em negócios imobiliários.

Em 1974, comprou sua primeira rede de TV e, dez anos depois, era dono do grupo Mediaset, que reúne três canais de TV.

Em 1976, comprou parte do diário Il Giornale. Em 1986, adquiriu o time de futebol AC Milan e, em 1990, tornou-se acionista majoritário da maior editora do país.

Criado em 1975, o grupo Fininvest controla a maioria de seus negócios.

Em 1994, fundou o partido Força Itália, e ganhou a eleição do mesmo ano numa aliança com a Liga Norte e a Aliança Nacional. Sete meses depois estava fora do cargo.

É acusado de corrupção desde 1996. Em 1998, foi condenado por crimes financeiros, mas apelou da decisão e foi absolvido. A todas acusações, o Berlusconi responde que é vítima de mentiras e manipulações para derrubá-lo.

Após tornar-se premiê, em 2001, Berlusconi distanciou-se de parte de suas empresas, transferindo-as para familiares e pessoas de sua confiança.