Benefício a um dos assassinos do índio Galdino é analisado pelo STJ

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de março de 2004 as 01:51, por: cdb

O ministro Felix Fischer, da Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) aguarda informações do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF) para decidir sobre o pedido de autorização para Antônio Novelly Cardoso de Villanova, um dos condenados pela morte do índio Galdino, poder freqüentar as aulas de uma faculdade e apenas dormir na prisão.
 
Villanova, Eron Chaves Oliveira e Tomás Oliveira de Almeida estão presos no Núcleo de Custódia de Brasília pela morte do índio, ocorrida em 20 de abril de 1997.

Villanova havia conseguido no TJDF o direito a freqüentar a universidade, também já concedido aos outros dois presos. No entanto, acatando pedido do Ministério Público, o benefício foi cassado. A defesa de Villanova, então, recorreu ao STJ.