Benedita vai depositar verba de viagem à Argentina

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 17 de outubro de 2003 as 21:44, por: cdb

A ministra da Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva, anunciou na noite desta sexta-feira que vai depositar em juízo o valor correspondente ao transporte da viagem que fez Argentina. A ministra afirmou que não deixará que esta viagem sirva de um motivo para manipulações políticas contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A ministra se recusou a responder qual o valor que será depositado. Benedita disse que provará que a viagem que fez “tem fundamento”

A polêmica em torno da viagem da ministra Benedita da Silva começou no final de setembro, depois de ela participar de um evento evangélico em Buenos Aires, na Argentina. A autorização da viagem foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), mas a razão apresentada no dia da publicação deu início às críticas. O motivo oficial publicado foi a participação de Benedita no 12º Café da Manhã Anual de Oração e não o encontro com a ministra do Desenvolvimento Social da Argentina, Alicia Kirchner. Foi o suficiente para iniciar a crise.

Na época do surgimento da polêmica, Benedita argumentou que foi um erro burocrático, pois um funcionário do ministério teria esquecido de protocolar o encontro com a ministra argentina. O presidente Lula se deu por satisfeito com a explicação, mas vários outros integrantes do governo – inclusive o ministro da Casa Civil, José Dirceu – aconselharam a colega de ministério a devolver o dinheiro para os cofres públicas para sepultar o assunto.

Benedita da Silva teria comprovado seu encontro com a ministra da Ação Social e com empresários da Argentina mostrando fotografias e matérias dos principais jornais daquele país, como o La Nación e o La Prensa. Segundo ele, estabeleceu-se a dúvida na sociedade brasileira, “mas a ministra tem uma posição que considera correta”, afirmou.

Ministra recebe pressões e apoio

O ministro do Controle e da Transparência, Waldir Pires, voltou a sugerir hoje que a ministra da Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva, devolvesse o dinheiro gasto na viagem que fez, em setembro, à Argentina, até que seja concluída a investigação sobre uso de recursos públicos.

O vice-presidente da República, José Alencar, chamou para si a responsabilidade sobre a viagem da ministra. Alencar disse em entrevista ao “Jornal da Record” que estaria disposto a ressarcir a União pelos gastos de Benedita da Silva. “Eu tenho por princípio não transferir responsabilidade, porque responsabilidade não se transfere. Então a responsabilidade é minha”. Benedita não aceitou a oferta de Alencar.

O senador Paulo Paim (PT-RS) defendeu a ministra depois de ela ter recebido uma enxurrada de críticas de integrantes do governo, do PT e da oposição por causa da viagem. Paim afirmou que vê no debate um toque de racismo e uma clara intenção de desgastar a ministra perante a opinião pública. “Considero a Benedita uma pessoa séria, honesta, de vida política imaculada. Acho que é mais um ato político para diminuir e desmerecer seu trabalho”, disse.

O presidente Nacional do PT, José Genoíno, insistiu ontem para que a ministra devolvesse o dinheiro gasto com a viagem. “Em nome de sua história política e do PT, Benedita precisa corrigir a falha devolvendo aos cofres públicos os recursos usados. Devolver o dinheiro é a melhor atitude para preservar o PT e a história dela”, afirmou.

De acordo com Genoíno, a polêmica não é boa nem para o partido, nem para o governo, e por isso a ministra deveria acatar a recomendação do parecer da Comissão de Ética do Palácio do Planalto e devolver o dinheiro, “o que resolveria a situação”. Genoíno fez questão de dizer que era uma opinião sua e não uma questão fechada dentro do PT.

A Comissão de Ética Pública do governo federal decidiu, por unanimidade, na quarta-feira, advertir Benedita devido à viagem que Benedita da Silva fez à Argentina em 24 de setembro, às custas dos cofres públicos. Só com passagens aéreas, a ministra gastou R$ 3.007,42 – valor referente ao