Bélgica: ‘Ordem internacional está em jogo’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de março de 2003 as 16:40, por: cdb

O primeiro-ministro da Bélgica, Guy Verhofstadt, declarou neste domingo, que nas próximas semanas não estará “em jogo só o desarmamento do Iraque”, mas também a existência de “uma ordem internacional digna desse nome”.

Em declarações ao canal privado de televisão VRT, o primeiro-ministro demonstrou satifação pelo fato de o Reino Unido, “um fiel aliado dos Estados Unidos”, começar a “vacilar” sobre a justificação de uma intervenção armada.

“Se França, Rússia e China mantêm sua oposição, ainda é possível evitar a guerra”, declarou Verhofstadt.

O primeiro-ministro acha que os países que desejam uma intervenção armada no Iraque “são agora menos numerosos que há algumas semanas”, por isso, na sua opinião, “uma segunda resolução da ONU é inaceitável”.

A resolução da ONU, segundo primeiro-ministro, “está centrada no desarmamento do Iraque e não numa mudança de regime em Bagdá. Caso fizesse falta declarar guerra a todos os regimes deste tipo, os conflitos seriam inumeráveis”, destacou.

Para Guy Verhofstadt, uma mudança de governo em Bagdá “não estabilizaria a região”, já que o importante é “encontrar uma solução para o conflito entre Israel e o povo palestino”.

Neste sentido, o governante belga criticou especialmente o governo dos Estados Unidos, por “não fazer pressão suficiente sobre Israel” em prol do alcance da paz.

Verhofstadt atribuiu o livre trânsito das tropas americanos em território belga ao “respeito dos tratados internacionais, embora o presidente dos Estados Unidos talvez pretenda enfrentar o direito internacional”, declarou.

O governante belga enfatizou mais uma vez que a solução para a crise iraquiana “não pode ser alcançada sem um mandato específico das Nações Unidas”.

“Há possibilidade de evitar a guerra, já que as inspeções da ONU começam a dar resultados e o problema estará solucionado em alguns meses”, concluiu Verhofstadt.