Beber moderadamente pode reduzir risco de derrame

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 6 de fevereiro de 2003 as 00:05, por: cdb

Alguns estudos já indicaram que beber álcool com moderação pode reduzir os riscos de ataques cardíacos, e agora uma nova pesquisa apóia a teoria de que o mesmo vale para evitar derrames.

“O consumo de leve a moderado de álcool pode ser protetor contra… derrames, enquanto uma grande ingestão de bebidas alcoólicas aumenta esse risco”, disse Kristi Reynolds, doutoranda da Universidade Tulane e co-autora do estudo, que foi publicado na edição desta semana de Journal of the American Medical Association.

Os pesquisadores da Universidade Tulane analisaram 35 estudos realizados entre 1983 e 2002 e concluíram que o consumo de um a dois drinques por dia está associado a uma redução de quase 30 por cento no risco de derrame, a terceira principal causa de morte nos Estados Unidos.

Mas as descobertas não implicam que as pessoas deveriam adotar o hábito de beber.

A pesquisa também descobriu que bebidas fortes aumentaram o risco de derrame em mais de 60 por cento, o que anula qualquer um dos benefícios do álcool para a saúde.

“As implicações destas descobertas deveriam ser examinadas cautelosamente”, concluiu o estudo. “Qualquer opinião a respeito do consumo de álcool deveria ser adaptada aos riscos e benefícios individuais do paciente”.

Embora concordem que há alguma proteção associada com a ingestão moderada de bebida, os especialistas, ao mesmo tempo, dizem que o melhor é adotar uma atitude cautelosa.

“Não há evidência para não beber com moderação, mas não estamos prontos para defender isso, tampouco”, disse o Dr. Robert Adams, titular da Associação Americana de Derrame e professor do Medical College, da Geórgia.

Depois de analisar os estudos anteriores, os pesquisadores de Tulane descobriram que alguém que bebia de um a dois drinques por dia reduziu seu risco de derrame isquêmico em 28 por cento a mais que as pessoas que não ingerem álcool.

O derrame isquêmico ocorre quando um vaso sangüíneo do cérebro é bloqueado, em geral por um coágulo, e representa 80 por cento de todos os derrames.

Os derrames hemorrágicos são a outra forma do problema, e acontecem quando um vaso no cérebro se rompe.

Quem bebia mais de cinco doses por dia tinha um risco muito maior de derrame isquêmico – 69 por cento a mais do que os abstêmios.

Cerca de 600 mil norte-americanos têm um derrame a cada ano, de onde resultam 160 mil mortes, de acordo com dados da Associação Americana de Derrame. Trata-se também da principal causa de incapacitação no país.

Beber demais já foi relacionado a um aumento no risco de derrame em numerosos estudos, mas por que beber moderadamente pode oferecer benefícios ainda não é algo inteiramente compreendido, segundo Reynolds.

Já houve teorias sugerindo que o álcool afina o sangue e aumenta a quantidade de colesterol “bom”.

As pesquisas sobre os potenciais benefícios à saúde proporcionados pela ingestão moderada de álcool continuam.

Mas, enquanto isso, autoridades de saúde alertam que as pessoas não devem se basear nisso para melhorar seu estado.

“Se você quer mesmo reduzir seu risco de ter um derrame, pare de fumar, reduza seu colesterol, comece a praticar exercícios e siga uma dieta alimentar saudável”, aconselha o Dr. Robert Adams.