BC reduz projeção para o crescimento da economia em 2011 de 3,5% para 2,5%

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 28 de junho de 2012 as 13:42, por: cdb

BC reduz projeção para o crescimento da economia em 2011 de 3,5% para 2,5%

Ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, diz que redução é “adequação à realidade”

Por: Agência Brasil

Publicado em 28/06/2012, 16:30

Última atualização às 16:37

Tweet

Brasília– O Banco Central (BC) reduziu a estimativa para o crescimento daeconomia este ano. A projeção para a expansão do Produto InternoBruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país,passou de 3,5% para 2,5%. A informação consta do Relatóriode Inflação,divulgado hoje (28) pelo BC.

Aministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse que a redução é uma “adequação à realidade”. Aprojeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma detodos os bens e serviços produzidos no país, reduziu de 3,5% para2,5%. SegundoIdeli, o governo está trabalhando para enfrentar a crise econômicamundial e permitir que o Brasil cresça. “É claro que a situaçãoda crise coloca condições de maior dificuldade, mas tudo tem sidofeito. Não tem semana que não tenha anúncio, que não tenhainiciativa, que não tenha ação do governo, para fazer com que ocrescimento se dê dentro das nossas potencialidades, das nossaspossibilidades. Então, é trabalhar muito”, disse a ministra apósparticipar de cerimônia de anúncio do Plano Safra 2012/2013 para aagricultura empresarial.

Deacordo com o relatório do BC, “a nova estimativa incorpora osresultados do primeiro trimestre de 2012, dados preliminaresreferentes ao segundo trimestre, período em que a retomada daatividade vem ocorrendo de forma bastante gradual, e a atualizaçãodo cenário macroeconômico para a segunda metade do ano”.

Segundo o BC, o ritmo decrescimento, no primeiro trimestre deste ano foi “modesto”, mesmocom o “desempenho favorável do mercado de trabalho” e o consumodas famílias. A instituição destacou também “acontribuição negativa do setor agropecuário para o crescimentoeconômico nesse começo de 2012, influenciada por significativasquebras de safra nas culturas de soja, arroz e fumo”.

Para o Banco Central, a retomadada atividade econômica, que deve ser acentuada no segundo semestre,será favorecida pelos efeitos defasados e cumulativos das reduçõesda taxa básica de juros, a Selic, e pelo impacto das medidasrecentes anunciadas pelo governo de estímulo à atividade industriale ao consumo.

Aestimativa divulgada hoje pelo BC é inferior à doministro da Fazenda, Guido Mantega, que ontem (27) disse esperar crescimento do PIB superior a 2,5% neste ano. Nessa quarta-feira, o ministro anunciou mais medidas de estímuloà economia. O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC)Equipamentos tem medidas para agilizar as compras governamentais,dando preferência à aquisição de produtos da indústria nacional,e estimular, com isso, a economia interna. O governo também anunciouque a redução da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) de 6% para5,5%.