BB e Bladex destinam US$ 35 milhões exportadoras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de março de 2003 as 18:01, por: cdb

O presidente do Banco do Brasil (BB), Cássio Casseb, fechou nesta quarta-feira um acordo com o Banco Latino-Americano de Exportação (Bladex) que permitirá a liberação de US$ 35 milhões para financiar micro e pequenas empresas exportadoras. Na última segunda-feira, o BB já havia captado outros US$ 20 milhões, desta feita nos Estados Unidos, para o mesmo segmento empresarial. A operação fechada hoje tem prazo de amortização de um ano.

Segundo o vice-presidente da Área Internacional do BB, Rossano Maranhão, a liberação dos recursos será feita de acordo com a procura por financiamentos. Ele admitiu que a demanda de micro e pequenas empresas para exportação atualmente está fraca, mas ressaltou a importância desse segmento. “É muito importante porque é uma alternativa a mais para as empresas”, disse Maranhão, ao ser questionado sobre a demanda.

Este é o primeiro acordo do BB com o Bladex voltado para micro e pequenas empresas. As operações anteriores não tinham uma destinação específica. O Bladex é um banco criado em 1975 e tem a participação dos países da América Latina, seja diretamente por seus tesouros nacionais ou por uma empresa estatal. No caso brasileiro, o Banco do Brasil é o acionista do Bladex.

Da carteira de crédito do banco latino-americano, hoje de US$ 3 bilhões, US$ 1,3 bilhão está comprometido com operações com bancos e empresas no Brasil. Segundo o presidente do Bladex, José Castañeda, houve uma retração na exposição do banco no Brasil, em 2002, que está sendo retomada agora.

Entretanto, como fez questão de observar, essa retração não se deu por problemas de confiança no País, mas pelas perdas que o banco sofreu na Argentina que provocaram uma contração geral dos seus empréstimos. Desde o início do ano, as captações externas do Banco do Brasil já somam US$ 220 milhões. Segundo seu vice-presidente da Área Internacional, o BB espera emprestar este ano, só para micro e pequenas empresas, R$ 350 milhões.