Base aliada e oposição não chegam a acordo para votações na Câmara

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de março de 2007 as 16:27, por: cdb

Depois de cerca de duas horas de debate, terminou sem acordo reunião de líderes da oposição e da base aliada com o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, para tentar desobstruir as votações no plenário. Os parlamentares da oposição vão continuar utilizando instrumentos regimentais para que as votação não ocorram.

Fazem parte da pauta de votações 12 medidas provisórias, entre elas as que tratam do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Na reunião desta terça-feira, a oposição propôs acabar com a obstrução da pauta desde que fosse suspenso o debate sobre o recurso do PT contra a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo.

Os deputados da base aliada não aceitaram a proposta e chegaram a sugerir a criação de uma comissão especial para tratar da crise nos aeroportos. A oposição, por sua vez, também não concordou com a sugestão e decidiu continuar obstruindo a pauta até que saia uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o assunto.

A interferência do STf foi solicitada no dia 12 por um grupo de parlamentares dos partidos de oposição ao governo.Na segunda-feira o presidente da Câmara recebeu do STF um pedido de informações sobre os procedimentos para a criação e instalação da CPI. Nesta terça-feira, após a reunião com os líderes partidários, Chinaglia disse que só terá todas as informações solicitadas entre segunda e terça-feira da semana que vem.