Banho de sangue em represália dos EUA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de abril de 2004 as 10:33, por: cdb

Forças norte-americanas iniciram nesta quarta-feira uma operação no Iraque para destruir a milícia leal ao líder radical xiita Motaqda al-Sadr, que Washington está responzabilizando por rebeliões que provocaram três dias de violência.

Desde o último domingo, mais de 33 soldados da coalizão e 170 iraquianos morreram em choques pelo país. A quarta-feira também está sendo marcada por confrontos de militares ocidentais com rebeldes xiitas e sunitas em pelo menos seis cidades iraquianas – num agravamento alarmante da situação no país.

No que está sendo considerado o mais sério episódio do dia, fuzileiros navais americanos bombardearam uma mesquita na cidade de Falluja onde dezenas de insurgentes sunitas estavam entrincheirados.

Cerca de 40 iraquianos morreram. Falluja é um dos mais ferozes bastiões de resistência e ódio à ocupação, onde semana passada quatro americanos foram mortos e tiveram seus cadáveres trucidados.

Em Kerbala – uma das cidades mais sagradas para os xiitas – soldados poloneses mataram um dos principais assessores do líder religioso radical xiita Moqtada al-Sadr, durante confronto. Murtada al-Mussawi, que dirigia o escritório de Sadr em Kerbala, foi morto numa troca de tiros com os poloneses no centro da cidade.

 A milícia de Sadr – conhecida como Exército Mehdi – vem lutando contra forças da coalizão em cidades do Sul e do Centro do Iraque desde domingo. Mais de cem iraquianos e 20 soldados da coalizão morreram em três dias de choques nas áreas, entre eles 12 fuzileiros navais americanos, num ataque em Ramadi.

Sadr é considerado pelos EUA responsável pela revolta xiita que sacode o país e é considerado um fora-da-lei pelas forças americanas, que o caçam. Ele estaria escondido em Najaf ou Kufa.

No Sul do país, soldados da Ucrânia se retiraram da cidade de Kut e voltaram à sua base, após sofrerem um ataque no começo da semana. Nota do Ministério da Defesa ucraniano afirma que a medida foi tomada para salvar a vida dos militares. Na terça-feira, um soldado ucraniano foi morto numa explosão e cinco outros ficaram feridos durante combates em Kut.

Pelo menos um soldado americano morreu e outro ficou ferido em confrontos com insurgentes perto da cidade de Balad, a norte de Bagdá. Em Baquba, no centro do Iraque, palco de confrontos entre americanos e xiitas, um helicóptero militar dos EUA caiu envolvo em chamas nesta quarta-feira. A causa da queda ainda não foi esclarecida, mas testemunhas disseram ter ouvido uma explosão antes da queda da aeronave.