Banco Popular planeja ampliar crédito para pequenas atividades

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 4 de março de 2007 as 11:31, por: cdb

Sem deixar de atender seu público-alvo – a população de baixa renda – o Banco Popular do Brasil, vinculado ao Banco do Brasil, pretende aumentar a participação em sua carteira de crédito a pequenos empreendedores ou clientes com algum tipo de atividade produtiva em Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips), cooperativas e associações.

O objetivo da estratégia é reduzir o grau de risco de inadimplência, promovendo, ao mesmo tempo, a inclusão social, segundo informou o presidente do BPB, Robson Rocha.

– Nossa carteira ficou bastante focada na concessão do microcrédito de uso livre e queremos ampliar as parcerias com Oscips, cooperativas, associações, para estabelecermos um índice melhor no microcrédito produtivo orientado – explicou.

A expectativa de Rocha é reverter, neste ano, o prejuízo de 2006, quando o BPB fechou com déficit de R$ 40,4 milhões, ainda que em recuperação, já que o resultado negativo caiu 34,8% na comparação com 2005.

Para Rocha, apesar de ter-se mantido em queda, o resultado “apresentou uma evolução bastante significativa”. Ele atribuiu essa melhoria de desempenho a um conjunto de ações como qualificação na concessão do crédito, redução de despesas operacionais e manutenção do valor da folha de pagamento da instituição.

Ao longo deste ano, além de continuar com as linhas de crédito em que os tomadores podem fazer uso do dinheiro da forma como achar melhor para atender suas necessidades, o BPB vai dinamizar a movimentação de recursos do Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado (Pnmpo).

Segundo a assessoria de imprensa do BPB, já existem parcerias com dez Oscips para esse tipo de empréstimo. Um exemplo é o convênio firmado em fevereiro de 2006 com a Fundação Banco do Brasil e a Central de Cooperativas de Materiais Recicláveis do Distrito Federal e Entorno (Centcoop-DF), que deu acesso ao crédito a 10 mil catadores, além de facilidades como pagar contas perto de casa.

Rocha disse que os desembolsos de 2007 serão semelhantes aos de 2006, com um total de R$ 150 milhões. Em dois anos e meio de funcionamento, a instituição concedeu R$ 328 milhões em empréstimos, em 2,8 milhões de operações com valor médio de R$ 117.

Com 2.750 pontos de atendimento em 1.349 municípios, o BPB tem 1,3 milhão de clientes. Nos pontos de atendimento, existem serviços de recebimento de contas diversas, água, luz, telefone, produtos, seguros, pagamento de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (Inss).

Segundo Rocha, são pessoas que não tinham conta em bancos nem experiência ou tradição de movimentação bancária. “Basicamente são cidadãos que não têm como comprovar renda, endereço, ambulantes, profissionais liberais, aqueles que em média ganham dois salários mínimos”.