Banco do Chile fecha as contas bancárias da família Pinochet

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de janeiro de 2005 as 14:47, por: cdb

O Banco do Chile, principal entidade financeira do país, fechou as contas bancárias de membros da família do ex-ditador chileno Augusto Pinochet e da Fundação que leva seu nome, informou o jornal El Mercurio neste domingo.

Segundo o jornal, que cita fontes da família, a medida também afetou a poupança de um neto de sete anos do general reformado.

– A instituição financeira anunciou a decisão esta semana, depois de ter encerrado as contas da Fundação Pinochet –  disse o jornal.

 – A família relaciona todas estas medidas à descoberta das contas do general no Banco Riggs dos Estados Unidos e à investigação comandada pelo ministro (juiz) Sergio Muñoz –  afirma o jornal.

O juiz, responsável também por processos de supostos crimes de evasão tributária, enriquecimento ilícito e fraude ao fisco, revelou que os montantes das contas secretas do ex-ditador (1973-1990) superaram os 15,9 milhões de dólares.

Muñoz, que em 23 de novembro ordenou o embargo dos bens de Pinochet, interrogou o próprio militar, seus filhos e seus colaboradores mais próximos e também revistou o escritório do militar, em busca de “importantes documentos” financeiros.

A filha mais velha de Pinochet, Lucía Pinochet Hiriart, foi a primeira a ser notificada na quarta-feira, 12 de janeiro, sobre o fechamento da conta corrente que mantinha há cerca de 35 anos no Banco do Chile, o que se repetiu com seus irmãos sem maiores explicações, acrescenta o jornal.
O Banco Chile também fechou as contas da Fundação Pinochet, encarregada de promover obras e realizações do governo liderado pelo general reformado.

Pinochet foi posto em liberdade na quarta-feira passada da prisão domiciliar que lhe tinha sido imposta por sua suposta responsabilidade em dez crimes da “Operação Condor”, plano de coordenação dos serviços secretos das ditaduras sul-americanas nos anos 70 e 80 para eliminar opositores.

A corte concedeu a sua liberdade através do pagamento de uma fiança de 3.570 dólares.
O general reformado, de 89 anos, permanece em seu sítio de Los Boldos, a 130 quilômetros ao sudoeste de Santiago, onde cumpriu seus oito dias de prisão.