Banco do Brasil registra lucro recorde de R$ 6,044 bi

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de fevereiro de 2007 as 17:43, por: cdb

O lucro líquido do Banco do Brasil em 2006, de R$ 6,044 bilhões, é um novo recorde. P resultado foi 45,5% superior ao de 2005. Esse resultado foi anunciado no final da manhã desta terça-feira na sede do Banco do Brasil, em São Paulo, pelo presidente da instituição, Antônio Lima Neto.

– O maior impulsionador foi o crescimento da carteira de crédito em todos os segmentos, as concessões a pessoas físicas, jurídicas, no financiamento ao comércio exterior, entre outros, todos com aumento robusto e saudável -, explicou Lima Neto.

Foram concedidos R$ 133,2 bilhões nas diversas modalidades de empréstimos, 30,8% a mais do que em 2005. Só as liberações para pessoas físicas por meio do crédito consignado mais do que dobraram, com volume de R$ 8,3 bilhões, 117,7% acima do movimento registrado no ano anterior.

Para as grandes e médias empresas, as operações somaram R$ 45,6 bilhões, 53% superior a 2005. E, no caso de micro e pequenas empresas, R$ 25,1 bilhões, com aumento de 19,7%. As linhas destinadas a capital de giro do setor atacadista tiveram ampliação de 67,5%, com saldo de R$ 17,4 bilhões, enquanto as linhas para investimento cresceram 47,4%, passando de R$ 1,9 bilhões para R$ 2,7 bilhões.

Lima Neto revelou que o banco deve continuar com uma política agressiva para ampliar sua participação no mercado. Entre os segmentos antes pouco explorados, citou as linhas de financiamento para a compra de veículos. Depois de sair da modesta quantia de R$ 180 milhões, em 2005, atingiu os R$ 900 milhões no ano passado, e a meta é praticamente triplicar este valor este ano, com algo em torno de R$ 3 bilhões, informou Lima Neto.

Na análise de Lima Neto, além do crédito, o que possibilitou o bom desempenho operacional foi a combinação de uma administração voltada para a redução de custos, controle da inadimplência e a visão de espaços a serem preenchidos diante da projeção de crescimento da economia.