Balada Segura: na 3ª edição pessoas abordadas aprovam a ação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 24 de março de 2012 as 05:23, por: cdb

 

Em sua terceira edição em Canoas, operação Balada Segura realizada entre a noite de sexta-feira, 23, e a madruga de sábado na avenida Inconfidência, próximo a Avenida Getúlio Vargas, e teve os seguintes resultados:

Veículos Abordados: 129 –

Veículos Autuados: 46 35,66%

Veículos Recolhidos:53,88%

CNHs Recolhidas:13 10,08%

Testes de etilômetro realizados – 120 93,02%

Autuados por Recusa – Art. 165 c/c Art. 277:96,98%

Autuados por Teste – Art. 165: 32,33%

Autuados Crime – Art. 165 e art. 306:10,78%

 

 

No caso dos 12 motoristas atuados por estarem dirigindo com níveis de álcool acima do máximo permitido por lei, na média entre 0,14 e 0,33 miligramas de álcool por litro de ar expelido, fica caracterizada punição administrativa, com retenção da CNH por 24 horas, multa de R$ 957,00 e processo para a perda do direito de dirigir por 12 meses.

Em um único caso da noite o condutor estava com níveis de álcool no sangue caracterizado como crime, acima de 0,33 miligramas por litro de ar expelido. Ele foi conduzido para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), onde foi lavrado o flagrante.

Volta segura

A grande maioria das pessoas abordadas reagia tranquilamente, conversando com os fiscais de trânsito, e fazendo o testo no bafômetro. Todos, ao ouvirem o texto de conscientização de jovens que participavam da abordagem eram unânimes em dizer que: vale a pena perder alguns minutos para que pessoas que apresentem níveis elevados de álcool, apresentando riscos ao trânsito, sejam abordados e retirados da direção. “É uma ação necessária para evitar acidentes, quem bebe deve ter a responsabilidade de pedir carona, ou pegar um táxi. O importante é que todos cheguem bem em casa”, disse a cabelereira Eliza Camargo, 45, que realizou o teste no etilômetro, que mostrou nenhum miligrama de bebidas alcóolicas ingeridas.

Para o secretário de Segurança Pública e Cidadania, Eduardo Pazinatto, o mais importante é que aos poucos os canoenses se conscientizem que esta será uma ação contínua, e que bebida e direção não combinam. “Esta continuidade mostra que o Balada Segura já é uma política pública, que veio para ficar. Estamos todos aqui irmanados nesta missão de diminuir a violência no trânsito”, declarou. Para o diretor de juventude, Diogo Bittencourt, o projeto é forte por não ser meramente punitivo, mas por ter, também, o caráter informativo e conscientizador. “As pessoas acabam se acostumando que as blitzes podem ocorrer em qualquer ponto da cidade, e quando souberem que o número de acidentes diminuiu vão apoiar. Nossa preocupação é principalmente com os jovens, que são as maiores vítimas da violência no trânsito”, falou Bittencourt.

Histórico

Quando lançada em Canoas, no dia 9 de fevereiro, a operação Balada Segura, na primeira noite de atuação, teve 79 abordagens em cerca de três horas e meia, quando foi realizada na rua Dr. Barcelos, região Central. Já a segunda, realizada na Avenida Boqueirão, próximo à Rua Liberdade, teve 100 abordagens.

Canoas é o primeiro município depois de Porto Alegre a ter efetivamente o Balada Segura em funcionamento, o que deverá ocorrer semanalmente em pouco mais de um mês.

Parceria

Na cidade, a operação Balada Segura é realizada pelo Detran em parceria com a com Prefeitura, por meio do Gabinete de Gestão Integrada do Município, (GGI-M), com a participação direta da Diretoria de Trânsito, da Secretaria Municipal dos Transportes e Mobilidade, da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania, da Brigada Militar, e da Coordenadoria da Juventude.

 

Crédito da notícia: Euclides Bitelo