Auxílio-moradia para deputados se transforma em desperdício de recursos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 04:17, por: cdb

O auxílio-moradia vem se transformando em uma fonte de desperdício de recursos públicos. O benefício, concedido para os parlamentares em Brasília, é pago para 316 dos 513 deputados.

O valor do auxílio-moradia pago aos deputados é de R$ 3.000 ao mês. Hoje, a Câmara possui 236 apartamentos funcionais vazios. Para o governo o gasto é duplo: um com a ajuda em dinheiro e outro com a manutenção dos apartamentos. A manutenção custa cerca de R$ 1.500 mensais.

O deputado, ao ser eleito, tem três opções de auxílio para escolher. Primeiro ele pode habitar um dos 432 apartamentos funcionais da Câmara. Se recusar pode alugar uma moradia por conta própria e ser reembolsado em até R$ 3.000. O parlamentar ainda pode receber o valor sem a necessidade de comprovação (descontado o Imposto de Renda, dá R$ 2.175 líquidos).

Com isso, apenas 45%, ou 196 dos 432 apartamentos funcionais, foram ocupados. Os outros 316 deputados optaram pelos R$ 3.000 de auxílio. Ao ano, a Câmara gasta R$ 11,4 milhões com o repasse em dinheiro e mais R$ 4,2 milhões só com a manutenção dos apartamentos desocupados.