Autorizada a exumação do corpo do ex-presidente do Banestado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de novembro de 2003 as 20:25, por: cdb

A 2ª Vara Federal Criminal de Curitiba autorizou a realização da exumação do corpo sepultado como sendo do ex-presidente da Banestado Leasing, Osvaldo Luiz Magalhães dos Santos. O pedido foi feito pelos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Banestado na Assembléia Legislativa do Paraná.

Depoimentos dados à CPI levantaram a suspeita de que o corpo não é de Santos, que teria morrido em 1998, em acidente automobilístico em Palmeira, a 85 quilômetros de Curitiba.

A CPI apura o esquema de remessas ilegais de dinheiro para paraísos fiscais pelo Banestado. A exumação deve ser feita pela Polícia Federal e instituições conveniadas, excetuando-se o Instituto Médico Legal (IML) do Paraná.

Na época da morte, foram os peritos do IML paranaense que identificaram o corpo como sendo de Santos, que era secretário de Estado dos Esportes e Turismo, quando aconteceu o acidente. Pela determinação judicial, o procedimento deverá ser feito nos próximos 30 dias, sem a presença da imprensa.

Segundo a Justiça, os advogados dos dois filhos de Santos, bem como seu pai, disseram que a família quer colaborar para realização do exame de DNA.

A CPI levantou vários detalhes que os levaram a suspeitar que o corpo não é o de Santos, entre eles a inexistência de exame de arcada dentária, o desaparecimento de folhas de registro no IML e incoerência em características descritas no laudo.

Santos era acusado de ter autorizado, em 1996, operações irregulares que resultaram em prejuízo de quase R$ 400 milhões.