Autoridades falham na condução da segurança pública, diz Anistia Internacional

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de novembro de 2012 as 13:42, por: cdb

(1’24” / 328 Kb) – As autoridades de São Paulo falham na tentativa de garantir a segurança pública e punir abusos a direitos humanos cometidos por agentes públicos, declarou a ONG Anistia Internacional à BBC Brasil. A conclusão, feita nesta terça-feira (27), ocorre em meio a onda de violência que tomou conta do estado nos últimos seis meses.

Segundo dados oficiais da Secretaria de Segurança Pública, na Grande São Paulo, somente em outubro deste ano foram registrados 329 homicídios. No mesmo mês do ano passado ocorreram 182. Um crescimento de 80%. Só na capital foram 176 assassinatos contra 82 em outubro de 2011. Alta de 114%.

A ONG citou também que há suspeitas de envolvimento de policiais em homicídios motivados por vingança, e disse que tais casos não foram investigados adequadamente “durante muitos anos”.

De acordo com o doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP), Daniel Hirata, o governo estadual deveria combater, primeiro, os grupos de extermínio formados por membros da PM. Para Hirata, o estado é conivente com a situação, pois adota uma política de controle social, que ele considera a mais “desastrosa possível”.

De São Paulo, para a Radioagência NP, José Francisco Neto.

28/11/12

Polêmica operação da Polícia Militar em favelas paulistas é ampliadaComitê articula novas ações para pressionar governo por onda de violênciaAção letal da PM paulista cresce e 271 são mortos em 7 mesesEm quatro horas, nove jovens são assassinados em São Paulo