Autoridades eleitorais do Iraque renunciam após ameaças

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de janeiro de 2005 as 18:57, por: cdb

A equipe de 13 pessoas que está organizando as eleições na província iraquiana de Anbar disse na terça-feira que abandonou a missão depois de receber ameaças de morte de insurgentes decididos a prejudicar a votação.

“Entregamos nossa renúncia ao governador ontem. Estamos recebendo ameaças por cartas e telefone”, disse Abdel Aziz al-Rawi, que chefiava a equipe na região onde acredita-se que a violência vá afastar muitas pessoas das urnas.

A Comissão Independente Eleitoral do Iraque minimizou as notícias de renúncias em massa de autoridades eleitorais em províncias sunitas, onde insurgentes determinados a prejudicar a eleição de 30 de janeiro atacaram centros de votação.

Funcionários disseram a repórteres na terça-feira que houve renúncias individuais, mas todos os que desistiram foram substituídos por outros de Bagdá.

Mas autoridades eleitorais em muitas partes do país recebem telefonemas de ameaça e até emails de insurgentes que lutam para expulsar as tropas norte-americanas do Iraque e enfraquecer o governo apoiado pelos EUA, alertando-os para parar de trabalhar sob o risco de serem mortos.

Sete funcionários foram mortos até agora, sendo que pelo menos quatro deles foram arrastados de seus carros em uma rua de Bagdá no mês passado e assassinados à luz do dia.

Na cidade de Basra, na terça-feira, um suicida jogou um carro cheio de explosivos contra a casa de um ex-chefe de inteligência da polícia.

Apenas o suicida morreu no ataque, que aconteceu perto do escritório da comissão de eleição e do prédio principal da polícia, disseram testemunhas e a polícia.

Hassan al-Katriny, que escapou ileso, é ativo na polícia e membro da comunidade xiita.