Autoridade afegã negocia entrega do mulá Omar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de janeiro de 2002 as 01:55, por: cdb

Um representante do governo do Afeganistão na cidade de Kandahar, no sul do país, informou ter conversando com milicianos da região sobre a possível prisão do líder espiritual do talibã, mulá Muhammad Omar. O chefe do serviço de inteligência afegão na cidade, Haji Gullali, disse que acredita que o mulá está escondido na província de Helmand, vizinha a Kandahar.

Gullali teria discutido com guerrilheiros a possibilidade de eles entregarem o mulá, que vem sendo procurado intensamente pelas forças anti-talibã no país. O representante do serviço de inteligência afegão disse também que um grupo de busca e captura está sendo organizado em Kandahar para prender o mulá, se ele não se estregar- mas nenhum prazo foi estabelecido para que isso aconteça.

Haji Gullali qualificou anteriormente o mulá Omar como um criminoso e afirmou que ele seria enforcado quando encontrado. Outros representantes do governo interino do Afeganistão informaram que um membro da alta cúpula do governo do talibã foi morto durante um bombardeio americano na semana passada.

A vítima seria Qari Ahmadullah, chefe de inteligência do talibã – que teria morrido na província de Paktia, no leste afegão, em companhia de três aliados. O governo interino mostrou seu apoio à continuidade dos bombardeios americanos – que, segundo eles, devem prosseguir até que todos os focos do talibã e da organização Al-Qaeda sejam destruídos no país.

Representantes de doze países estão realizando uma pesquisa na capital do Afeganistão, Cabul, para saber como o povo vê o trabalho de uma futura força de paz internacional na região. Em Washington, o Pentágono informou que vários milicianos do talibã que continuam resistindo no Afeganistão estão negociando suas possíveis rendições.

Mais uma vez, as autoridades americanas negaram ter conhecimento do paradeiro do mulá Omar, mas reconheceram que fuzileiros navais americanos estão participando das buscas.