Australiano libertado da base de Guantánamo chega à Austrália

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 28 de janeiro de 2005 as 05:35, por: cdb

Mamdouh Habib, um australiano libertado pelos Estados Unidos da base de Guantánamo, onde permaneceu durante três anos sem ser acusado de delito algum, chegou, nesta sexta-feira, à Austrália, onde se reuniu com sua família, disseram fontes oficiais.

O “talibã australiano”, que depois de aterrissar no aeroporto internacional de Sydney entrou em um pequeno avião e partiu com destino desconhecido, será vigiado pelas autoridades australianas, embora vá permanecer em liberdade, assinalaram fontes governamentais.

– Os delitos específicos de ser membro, treinar, financiar ou estar associado a uma organização terrorista como Al Qaeda, não existiam nas leis australianas no momento das supostas atividades de Habib. – assinalou o governo mediante um comunicado.

– Por esta razão, sobre a base das provas e as recomendações que recebeu o governo, não parece provável que Habib possa ser julgado por tais atividades sob as leis australianas. – concluiu a nota oficial.

Habib e David Hicks eram os dois únicos australianos detidos em Guantánamo por sua suposta colaboração com o regime talibã afegão, embora Hicks permaneça detido ao estar formalmente acusado de terrorismo pelos Estados Unidos.

O governo australiano quis manter separados os casos de Hicks e Habib.

O início da vista de Hicks está previsto para 15 de março, embora seus advogados temam que seja adiado para 2007 se a comissão militar encarregada do processo decidir esperar os resultados de outro procedimento contra o motorista pessoal de Osama bin Laden, Salim Ahmed Hamdan.

O julgamento contra Hamdan deve determinar se ele é ou não um prisioneiro de guerra, decisão que pode servir de precedente para julgar Hicks.