Audiência pública discute violência contra trabalhadores rurais no Pará

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005 as 16:39, por: cdb

Uma audiência pública com a presença de autoridades do governo federal, do estado do Pará e lideranças sindicais discute as denúncias de violência contra trabalhadores rurais, sindicalistas, e integrantes do Movimento Rural dos Trabalhadores Sem Terra (MST) no município de Rodon do Pará – que fica a 500 km de Belém.

– O objetivo é dialogar com as partes, buscar o entendimento sem o uso da violência – afirmou o secretário especial dos Direitos Humanos, ministro Nilmário Miranda durante a abertura da audiência.

Para o ministro:

– Os conflitos são normais e devem ser resolvidos pelo Judiciário ou pela negociação das partes envolvidas.

O ministro interino do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Casser, lembrou que:

– O Brasil é um dos únicos países do mundo em que a concentração de terra é maior que a de renda.

Segundo ele, 98 mil famílias foram assentadas em 2004 e, em fevereiro, o governo quer assentar outras 10 mil famílias.

Com menos de 40 mil habitantes, Rondon do Pará está nas páginas de um relatório levado à Organização dos Estados Americanos (OEA) em razão das graves violações de direitos humanos que ocorrem na cidade. No dia 26, o trabalhador sem terra Carlos Coelho Freitas foi morto a tiros na região de Marabá (PA). A reunião pretende discutir os principais problemas da região, como os conflitos agrários, a violência no campo, a grilagem de terra e o trabalho escravo.