ATTAC publica declaração contra cúpula do G8

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de maio de 2003 as 19:44, por: cdb

A organização ATTAC, contrária à globalização, divulgou em Paris nesta quarta-feira sua “declaração do G-mundo”, lida em 15 idiomas pelos representantes do movimento que vieram de diversos países para participar da contra cúpula do G8, de Evian.

Essa contra cúpula deve ser realizada em Annemasse (sudeste da França), de amanhã até domingo. A declaração de ATTAC, assinada pela maioria das cerca de 50 delegações espalhadas pelo mundo, foi lida numa entrevista coletiva em japonês, holandês, finlandês, espanhol, árabe, sueco, guru (Costa do Marfim), húngaro, português, alemão, polonês, flamengo, grego, catalão e francês.

A declaração será entregue em três versões (francês, inglês e espanhol) às delegações participantes da cúpula do G8, explicou o presidente da ATTAC-França, Jacques Nikonoff.

Os chefes de Estado e do Governo dos países mais industrializados do mundo e a Rússia se reunirão durante três dias em Evian (França), de 1 a 3 de junho, para abordar principalmente a situação da economia e reforçar a integração da África nos mercados mundiais.

A declaração da ATTAC se assemelha a carta da ONU. Ela é dirigida aos “povos do mundo, para denunciar as conseqüências das políticas instauradas e impostas pela diretiva de governos que pretendem governar o Planeta”. Para os membros da organização as atitudes desses países são “ilegítimas”, e por isso eles pedem sua “dissolução”.

Depois de criticar amplamente as conseqüências do neoliberalismo, a declaração da ATTAC solicita o fim dos paraísos fiscais e bancários, assim como o funcionamento de programas de ação e dos tratados elaborados pelas Nações Unidas.

A ATTAC co-organiza a “cúpula por outro mundo” junto com o Greenpeace, a Anistia Internacional, entre outros.