Atentados em Madri podem ter sido planejados na Alemanha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de março de 2004 as 18:19, por: cdb

A investigação sobre os atentados deste mês em Madri levou as suspeitas à Alemanha e ao Marrocos nesta sexta-feira. A polícia prendeu mais um suspeito na capital espanhola e continuava procurando o mentor do ataque, o mais violento da Europa nos últimos 15 anos.

Na Alemanha, policiais vasculharam o apartamento de um marroquino que já está preso na Espanha, e promotores disseram estar investigando possíveis ligações dele com grupos terroristas.

O governo de Rabat disse que marroquinos foram interrogados sobre os atentados, mas negou uma reportagem do jornal Al Ahdath Al Maghribia de que a polícia prendeu um homem em Tetuan, no norte do país, com mapas das estações madrilenhas onde ocorreram os atentados.

Várias pessoas foram interrogadas no norte do Marrocos e os serviços de segurança completaram suas investigações sobre os atentados, disse o ministro de Comunicações, Nabil Benabdallah, à agência MAP.

– Ficou muito claro desde o começo que os ataques de Madri tinham relação com Alemanha, França e Grã-Bretanha, pelo menos”, disse uma importante fonte européia de inteligência à Reuters.

– As pessoas se conheciam, havia comunicação. O que veio à luz agora em Darmstadt (Alemanha) pode ser um novo elemento, mas não um elemento surpreendente”, disse essa fonte.

Radicais marroquinos

Entre as pessoas presas até agora, a maior parte é do Marrocos, país islâmico separado da Espanha pelo estreito de Gibraltar. As autoridades já suspeitavam da ligação de alguns desses presos com radicais islâmicos.

A pista alemã é potencialmente importante porque investigadores acreditam que os atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA foram planejados na Alemanha e na Espanha. Eles dizem, porém, que ainda é cedo para concluir que os ataques de Madri foram planejados na Alemanha.

– Não temos pista alguma de que os ataques de Madri tenham sido planejados ou preparados na Alemanha – disse na sexta-feira o ministro alemão do Interior, Otto Schily.

A polícia espanhola prendeu mais uma pessoa em Madri na sexta-feira, disse um porta-voz do Ministério do Interior. O número de pessoas que já foram presas na Espanha por suspeitas de envolvimento com os atentados subiu para 18.

Um deles foi inocentado na sexta-feira por falta de provas. Fontes próximas à investigação dizem que dos que continuam detidos, só dois ou três teriam colocado as bombas nos trens. Os demais teriam desempenhado papéis secundários no ataque, que matou 190 pessoas.