Ateliê de Costura do Município tem recorde de inscrições

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de março de 2012 as 11:58, por: cdb

Tweet

   Em apenas três dias de inscrição o recém inaugurado Ateliê de Costura Rosalina Carvalho, cadastrou 146 alunos entre homens e mulheres. Um recorde, segundo Agnaldo Nepomuceno, secretário municipal de Desenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdestur).

   Ele conta que no primeiro dia de inscrições a procura foi muito grande e já nas primeiras horas, 40 pessoas haviam sido atendidas. “A ideia da oficina de costura é dar oportunidade para todos. Quem não for contemplado em um primeiro momento será no segundo e assim sucessivamente. Já estamos trabalhando para colocar um ateliê em outro ponto da cidade visando atender a grande demanda.

   Pessoas nos procuraram agradecendo pela iniciativa, pois não tinham dinheiro para pagar um curso de corte e costura que chega a 600 reais”, disse Agnaldo.

   As inscrições acontecem até 28 de fevereiro e o curso inicia dia 05 de março. E podem se inscrever aqueles que não têm conhecimento algum, e também quem já tem máquina em casa, mas precisam se aperfeiçoar.

Vagas ofertadas

    São 60 vagas para o primeiro semestre e mais outras 60 para o segundo. A seleção, segundo Agnaldo, será feita de acordo com o grau de vulnerabilidade social, ou seja, a condição e renda das famílias, quantidade de filhos e idade, são alguns critério de necessidades. Durante o processo, muitos candidatos puderam colocar atrás de suas fichas de inscrições observações sobre o motivo pelo qual estavam querendo fazer o curso.

   As justificativas mais freqüentes eram: Que a idade já não permite mais ter um trabalho formal e que sustentam a casa fazendo bicos. O serviço oferecido pela prefeitura, além de gratuito, tem o certificado de qualificação profissional e os alunos saem encaminhados para o mercado de trabalho. “Vamos trabalhar de forma que quem quiser ir para o mercado formal, já vai sair capacitado, quem quiser montar o próprio negócio vai poder trabalhar com o Banco do Povo contraindo empréstimos e encaminharemos para o mercado de trabalho através do Sine municipal que, inclusive, esta oferecendo desde já vagas para estas áreas. Já fui procurado por dois empresários pedindo para que os primeiros que se formassem fossem encaminhados para essas empresas. Além disso, temos o desejo de montar uma cooperativa de costureiras que irá produzir, principalmente, roupas de hospitais, jalecos, lençóis e fardamentos para que o Estado possa comprar desta. Será realmente uma inclusão social”, afirma Nepomuceno.

Por: Rebeca Barca
Fotos: Medeiros

Ateliê de Costura do Município tem recorde de inscrições

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012 as 16:59, por: cdb

Tweet

   Em apenas três dias de inscrição o recém inaugurado Ateliê de Costura Rosalina Carvalho, cadastrou 146 alunos entre homens e mulheres. Um recorde, segundo Agnaldo Nepomuceno, secretário municipal de Desenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdestur).

   Ele conta que no primeiro dia de inscrições a procura foi muito grande e já nas primeiras horas, 40 pessoas haviam sido atendidas. “A ideia da oficina de costura é dar oportunidade para todos. Quem não for contemplado em um primeiro momento será no segundo e assim sucessivamente. Já estamos trabalhando para colocar um ateliê em outro ponto da cidade visando atender a grande demanda.

   Pessoas nos procuraram agradecendo pela iniciativa, pois não tinham dinheiro para pagar um curso de corte e costura que chega a 600 reais”, disse Agnaldo.

   As inscrições acontecem até 28 de fevereiro e o curso inicia dia 05 de março. E podem se inscrever aqueles que não têm conhecimento algum, e também quem já tem máquina em casa, mas precisam se aperfeiçoar.

Vagas ofertadas

    São 60 vagas para o primeiro semestre e mais outras 60 para o segundo. A seleção, segundo Agnaldo, será feita de acordo com o grau de vulnerabilidade social, ou seja, a condição e renda das famílias, quantidade de filhos e idade, são alguns critério de necessidades. Durante o processo, muitos candidatos puderam colocar atrás de suas fichas de inscrições observações sobre o motivo pelo qual estavam querendo fazer o curso.

   As justificativas mais freqüentes eram: Que a idade já não permite mais ter um trabalho formal e que sustentam a casa fazendo bicos. O serviço oferecido pela prefeitura, além de gratuito, tem o certificado de qualificação profissional e os alunos saem encaminhados para o mercado de trabalho. “Vamos trabalhar de forma que quem quiser ir para o mercado formal, já vai sair capacitado, quem quiser montar o próprio negócio vai poder trabalhar com o Banco do Povo contraindo empréstimos e encaminharemos para o mercado de trabalho através do Sine municipal que, inclusive, esta oferecendo desde já vagas para estas áreas. Já fui procurado por dois empresários pedindo para que os primeiros que se formassem fossem encaminhados para essas empresas. Além disso, temos o desejo de montar uma cooperativa de costureiras que irá produzir, principalmente, roupas de hospitais, jalecos, lençóis e fardamentos para que o Estado possa comprar desta. Será realmente uma inclusão social”, afirma Nepomuceno.

Por: Rebeca Barca
Fotos: Medeiros

< Anterior Próximo &gt