Ataques cyberterroristas devem aumentar ao longo dos próximos meses

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 16 de outubro de 2001 as 15:52, por: cdb

O número de ataques de hackers (piratas de computadores), ou cyberterrorismo, contra computadores está aumentando e deve terminar o ano duas vezes maior do que o número de ataques registrado do ano passado.

A advertência foi feita pelo órgão regulador de segurança na internet dos Estados Unidos, o CERT (sigla de Computer Emergency Response Team, ou Equipe de Reação Emergencial em Informática). O aumento no número de ataques cyberterroristas aconteceu após os atentados de 11 de setembro, o que leva especialistas desta instituição a ligar estas ações ao esforço de guerra desenvolvido pela Al Qaeda, a agência terrorista do refugiado saudita Osama bin Laden.

O órgão informou que desde janeiro, já foram registrados 35 mil incidentes de segurança na internet – muito mais do que o total de incidentes desse tipo registrados no ano passado.

Se os ataques prosseguirem no mesmo ritmo que vêm sendo registrados, o número de casos deve chegar a cerca de 46 mil neste ano, enquanto em 2000 foram 21.756 incidentes.

Prejuízo

Nas estatísticas divulgadas pelo Cert foram incluídos casos de ataques de hackers contra redes de computadores de empresas e organizações, além de outros tipos de crimes na informática – como distribuição de vírus.

O Cert lançou um alerta para a existência de brechas de segurança em programas de computador em uso – que poderiam ser explorados por hackers.

Até agora, o órgão já identificou 1.800 brechas de segurança em programas – quase o dobro do número registrado em todo o ano passado.

O órgão de segurança não especificou se o aumento do número de falhas de segurança é resultado do surgimento de programas de computador mais vulneráveis ou do aumento da fiscalização e vigilância do próprio Cert.

Nos últimos meses, a segurança dos usuários da internet foi ameaçada pelo surgimento de vários virus que se aproveitam das vulnerabilidades de sistemas operacionais, como o Código Vermelho ou o Nimda.

Sozinho, o Código Vermelho, infectou mais de 250 mil computadores em apenas algumas horas, no mês de agosto.

Estima-se que prejuízo causado pelo vírus tenha sido de aproximadamente US$ 2,6 bilhões (cerca de R$ 7,46 bilhões).