Ásia tem maior bloco comercial do mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de novembro de 2002 as 22:35, por: cdb

A China assinou, nesta segunda-feira, um acordo com os 10 países que formam a Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean), com o objetivo de dar início às negociações para a formação da maior zona de livre comércio do mundo. Japão e Coréia do Sul também estudam sua participação neste bloco.

O acordo, assinado pelo primeiro-ministro Zhu Rongji e por seus colegas da Asean, compromete os signatários a desenvolver uma área de livre comércio no prazo de 10 anos, o que eliminaria tarifas alfandegárias e outras barreiras comerciais, sobretudo sobre produtos agrícolas.

Para os países com a economia menos desenvolvida, o prazo para entrada em pleno vigor do acordo poderá ir até 1015 – casos de Camboja, Laos, Myanmar e Vietnã.

Segundo o convênio, as negociações para a área de livre comércio China-Asean, com um mercado combinado em potencial de 1,7 bilhão de pessoas, começarão no ano que vem. O intercâmbio comercial bilateral entre a China e a Asean será superior a 1,2 bilhão de dólares e o PIB acumulado será de dois bilhões de dólares.

O acordo solicita a inclusão de uma cláusula voltada para a redução de impostos sobre vários bens, que seria adotada em um prazo de três anos, a partir de 1 de julho de 2003, quando o pacto entraria em vigor, segundo funcionários da Asean.

A Asean é formada por Brunei, Camboja, Indonésia, Laos, Malásia, Myanmar, Filipinas, Cingapura, Tailândia e Vietnã.

Com a iniciativa, a Asean transforma a China, uma vizinha poderosa e concorrente temida, em uma aliada econômica de peso. Além disso, a associação antecipa-se ao resto do mundo em seus intercâmbios com os chineses, que terão que reduzir suas tarifas alfandegárias como membro da Organização Mundial do Comércio.

A Asean espera, com esta aproximação de seus vizinhos orientais, diminuir sua dependência do mercado norte-americano e aumentar sua atratividade para os investidores internacionais.