Argentina faz final da Copa Hopman contra Eslováquia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de janeiro de 2005 as 10:53, por: cdb

A Eslováquia é o segundo país finalista da Copa Hopman. Nesta sexta-feira a equipe formada por Dominik Hrtbaty e Daniela Hantuchova conquistou o direito de enfrentar a Argentina, neste  sábado, depois de passar pela Holanda por 3 a 0.

Os eslovacos chegam à decisão pela segunda vez consecutiva. No ano passado, a equipe foi derrotada pelos Estados Unidos por 2 a 1. Na quinta-feira, os argentinos asseguraram a vaga após vencerem a Alemanha por 2 a 1.

Na abertura da rodada, Daniela Hantuchova precisou de 1h07min para derrotar Michaella Krajicek 6-4 6-2. Logo em seguida, Dominik Hrbaty foi beneficiado por uma lesão em um músculo do tórax de Peter Wessels ainda no primeiro set, quando o eslovaco vencia por 5/2. O terceiro jogo, o de duplas mistas, não pôde ser realizado.

– Realmente é muito importante para nós estar na final. Tenho um retrospecto de 3/1 contra Guillermo Coria (argentino e adversário da final), mas ele abandonou em todas as oportunidades.

Hantuchova comemora também os resultados obtidos na edição deste ano: a eslovaca ganhou duas de suas três partidas, contra nenhuma vitória em 2004. A tenista, ex-número cinco do mundo, está confiante para o jogo contra a argentina Gisela Dulko.

– Acredito que mereça o título depois da ajuda que dei a Dominik (Hrbaty). Acho que se eu mantiver o ritmo das outras partidas terei boas chances de vencer – disse Hantuchova.

Derrota de Shaughnessy tira os EUA da final

Os Estados Unidos precisavam vencer a Austrália por 3 a 0 para que Holanda e Eslováquia não tivessem mais chances de ir à final. Mas a derrota de Meghann Shaugnessy para a australiana Alicia Molik (6/2 e 6/3) e a lesão do holandês Wessels – que deu dois pontos para a Eslováquia – tiraram os EUA da decisão.

James Blake ainda entrou em quadra e derrotou Paul Baccanello por 6/3 e 6/4 e, nas duplas mistas, Blake e Shaughnessy bateram Molik e Baccanello, por 6/7 (6/8), 7/5 e 7/6 (10/7), em dura partida que teve a duração de quase duas horas.

– Estudei em Harvard, mas isso não significa que eu seja brilhante. De vez em quando eu fico um pouco lento em quadra, mas hoje mostrei que estava ligado – disse Blake.