Argentina clona vaca que produz hormônio humano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 2 de outubro de 2003 as 05:03, por: cdb

A Argentina tornou-se o primeiro país do mundo a conseguir que uma vaca clonada e transgênica produza um hormônio de crescimento humano, importante para o tratamento de doenças como o nanismo, afirmou na quarta-feira a empresa de biotecnologia Bio Sidus.

– Com os primeiros litros de leite, vimos que o animal produz uma quantidade bastante boa do hormônio de crescimento humano – disse a empresa em um comunicado.

O presidente da Agência Nacional de Fomento Científico, Lino Baranao, afirmou que a Argentina é o primeiro país do mudo a obter resultados desse tipo.

– Somente sete países no mundo possuem vacas transgênicas clonadas e a Argentina é o único deles que conseguiu fazer com que uma vaca clonada produza esse hormônio – explicou.

Os sete países mencionados são, além da Argentina, os EUA, a Grã-Bretanha, o Canadá, a Coréia do Sul, a Nova Zelândia e a Austrália.

A obtenção do hormônio de crescimento por meio de vacas clonadas poderia abrir caminho para a criação de um medicamento mais barato. Calcula-se que cada vaca produza no leite, por ano, 5 quilos dessa substância, conhecida como somatotropina.

– Isso nos permite dizer que a produção de apenas um animal seria capaz de satisfazer a demanda por esse hormônio em nosso país – disse o informe da empresa.

Mas os pesquisadores ainda precisam elaborar um mecanismo para retirar o hormônio do leite e purificá-lo a fim de que possa ser administrado como um remédio via oral.

A Bio Sidus estima que o medicamento chegará ao mercado dentro de dois anos.