Argentina adia reabertura de mercado de câmbio e paralisa mercado financeiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de janeiro de 2002 as 22:51, por: cdb

O Banco Central da Argentina adiou por pelo menos mais um dia o fim do feriado no setor de câmbio. A decisão foi tomada, segundo a diretoria do BC, para que sejam fechados os últimos detalhes da desvalorização do peso. A moeda argentina esteve atrelada à moeda americana durante quase onze anos. No último domingo, depois da aprovação da medida pelo Congresso, o governo anunciou, oficialmente, a desvalorização do peso. Mas desde então o mercado financeiro e todas as transações estão praticamente paradas.

A comerciante Maria Vasquez de Souza, de 33 anos, não pôde pagar o seguro do seu carro. A seguradora, segundo ela, pediu um prazo para esperar a definição do governo sobre a cobrança do serviço. “Até aqui essa cobrança era em dólar, mas, com a transformação das contas para o peso, a tendência é que o seguro também passe a ser cobrado em peso”, disse ela. “Então acho que a seguradora decidiu esperar para ver o que fazer.”

A expectativa é de que o governo anuncie nas próximas horas o aumento do limite de saques de 1.000 pesos para 1.500 pesos. Nesta terça-feira, a Corte Suprema concedeu ganho de causa ao governo, aprovando o chamado “corralito” (o curralzinho, como o limite de saques está sendo chamado). Com isso, foram anuladas as ações impetradas por partidos políticos e diferentes entidades contra a medida, que foi adotada pelo ex-ministro da economia, Domingo Cavallo. Na tentativa de amenizar o mau humor nacional, o governo federal pretende anunciar ainda limites de 1.200 pesos para saques de profissionais autônomos. Até agora, eles estão de fora até mesmo desta regra.