Argélia vive alerta máximo contra terror

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de outubro de 2003 as 11:43, por: cdb

As autoridades argelinas reforçarão a segurança de Argel e sua região com um contingente de 16 mil membros das forças da segurança, diante da ameaça de possíveis atentados fundamentalistas durante o mês do Ramadã, informa hoje a imprensa local.

Serão treze mil policiais divididos em carros e a pé que terão a companhia de cachorros para a detecção de explosivos, e que percorrerão dia e noite os bairros da capital do país. O restante são policiais dos grupos especiais de intervenção que têm o objetivo de localizar e neutralizar os grupos criminosos, segundo afirma o jornal “El Watan”.

Este dispositivo preventivo se encarregará também de impedir a entrada em Argel de comandos terroristas e, ao mesmo tempo, enfrentar o sensível aumento da criminalidade na região da capital.

Em meios da segurança, se atribui ao Grupo Salafista para a Predicação e o Combate (GSPC) a intenção de infiltrar em Argel pelo menos um de seus comandos que, presumivelmente, seria o mesmo que há doze dias fez uma emboscada contra uma patrulha policial e matou três de seus integrantes e feriram outros dez.

O Ramadã é considerado pelas organizações fundamentalistas que empregam a violência para conseguir seus propósitos como o mês mais “apropriado” para multiplicar suas ações.

Por outro lado, se informou da morte de dois militares, na segunda-feira, destroçados pela explosão de dois artefatos colocados em uma estrada de montanha na região de Adekar, enquanto efetuavam uma patrulha.

Pelo menos 800 pessoas morreram na Argélia neste ano por causa da violência dos grupos terroristas.