Arafat quer seus aliados no Governo de Abu Mazen

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de março de 2003 as 14:06, por: cdb

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Yasser Arafat, quer que seus aliados Nabil Shaat e Saeb Erekat façam parte do gabinete do futuro primeiro-ministro palestino, Majmud Abás (Abu Mazen).

Assim informaram fontes palestinas citadas neste domingo pela rádio israelense, depois que a rede árabe de televisão Al Jazira comunicou que Arafat deseja introduzir duas mudanças na emenda da Lei Básica que estabelece a figura de um primeiro-ministro.

Além da nomeação de Erekat e Shaat, Arafat exige que a emenda estabeleça o presidente da ANP como “chefe do Poder Executivo” e não o Conselho de Ministros que o primeiro-ministro formará.

O Conselho Legislativo, que aprovou a emenda da Lei Básica com 63 votos a favor, três contra e quatro abstenções, deverá ser convocado na próxima segunda-feira para voltar a debatê-la antes de sua submissão à terceira e última leitura.

Arafat, aparentemente temeroso de que o futuro primeiro-ministro comprometa progressivamente sua tradicional hegemonia na cúpula do poder palestino, tem, por lei, o direito de apresentar reservas a emendas antes de elas serem sancionadas numa terceira leitura.

Arafat não encomendou a formação de um novo Gabinete Nacional a Abu Mazen, que atualmente é secretário do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (PLP), já que antes de dar esse passo, o Conselho legislativo tem que aprovar a emenda.

Desde que o presidente palestino pediu ao Conselho Central Palestino (CCP) da OLP a aprovação desse dirigente para o cargo de primeiro-ministro, Abu Mazen se manteve em silêncio e ainda não se sabe se ele aceitará a missão.

Estados Unidos e Israel vêem Abu Mazen como o mais indicado para a retomada das negociações de paz, estancadas há mais de dois anos.