Arábia Saudita rompe relações e isola ainda mais o Talebã

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 25 de setembro de 2001 as 20:13, por: cdb

O regime do Talibã, que controla a maior parte do território do Afeganistão, ficou ainda mais isolado nesta terça-feira depois de a Arábia Saudita cortar todas as suas relações com o país da Ásia Central.

A Arábia Saudita – uma das mais importantes nações muçulmanas, terra santa do Islã e local de nascimento do profeta Maomé – disse que tomou essa decisão porque o Talebã continuava a dar refúgio para terroristas.

O Paquistão é agora o único país a manter laços diplomáticos com o regime após os Emirados Árabes Unidos também romperem as relações bilaterais no sábado.

O governo paquistanês chegou a retirar seus diplomatas de Cabul, nas últimas 48 horas, mas anunciou que ainda mantém contatos com representantes do Talebã.

A Arábia Saudita estava sob forte pressão para adotar essa medida após os atentados terroristas do dia 11 de setembro em Nova York e Washington.

O Governo Bush acusa Osama bin Laden, dissidente saudita e líder do movimento al Qaeda, de ser o principal responsável pelos ataques.

Bin Laden vive como hóspede no Afeganistão e também estaria, segundo Washington, ligado a outros atentados contra os Estados Unidos. O dissidente foi expulso da Arábia Saudita em 1991 e teve sua cidadania saudita suspensa em 1994.

O Talebã tem se recusado a entregar o extremista para as autoridades norte-americanas. Na semana passada, os líderes religiosos do regime afegão aprovaram um decreto com um apelo para que bin Laden deixe o país de forma voluntária, o que foi considerado insuficiente pelos EUA.