Após recorde, Bovespa sustenta tendência de alta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 as 12:16, por: cdb

O pregão da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em baixa, nesta quinta-feira, enquanto investidores aguardam uma série de indicadores nos Estados Unidos e a segunda parte do depoimento do chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, ao Congresso norte-americano, mas a tendência se inverteu. Às 12h11, o índice subia 0,29%, a 46.130 pontos. Na véspera, o índice atingiu nova máxima histórica tanto no fechamento, aos 45.995 pontos, quanto durante os negócios, em 46.105 pontos. O volume foi o maior da história, acima de R$ 14 bilhões. O recorde atraía investidores para o embolso de lucros nesta manhã. Entre os destaques de baixa, as ações da Brasil Telecom recuavam 1,32%, depois do forte avanço na véspera.

Os papéis da Petrobras operavam em alta de 0,78%, enquanto o mercado digeria notícias sobre o acordo de gás entre Brasil e Bolívia. As ações da AmBev exibiam valorização de mais de 1% em meio a especulações sobre a InBev com a cervejaria norte-americana Anheuser-Busch. Na quarta-feira, os investidores ficaram animados com comentários de Bernanke, de que a economia dos Estados Unidos deve ter crescimento moderado e as pressões inflacionárias devem diminuir.

“As declarações de Bernanke foram interpretadas no mercado como sinais de que não haverá alta dos juros norte-americanos nos próximos meses. Nesse cenário, mercados emergentes, como o brasileiro, costumam se beneficiar”, destacou a corretora Link, em relatório.