Apenas Garotinho pode dar informações sobre caso Staheli

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de abril de 2004 as 12:08, por: cdb

A partir desta terça foi determinado que todas as informações oficiais relativas às investigações sobre o caso do assassinato do casal Staheli só podem ser repassadas pelo secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho. O secretário deu a instrução a todos os policiais que estão trabalhando na investigação do caso.

O caseiro Jossiel Conceição dos Santos, que chegou a confessar a autoria do crime na última quinta-feira, continua sendo tratado como testemunha depois de mudar a versão e apontar duas pessoas como assassinas do casal.

A polícia divulgou na segunda-feira que vai pedir exame de sanidade mental de Jossiel. Ele já apresentou três versões diferentes para o crime. De acordo com a primeira, o caseiro assumiu ter matado o casal americano. Na segunda, ele disse que apenas teria facilitado a entrada na casa para dois homens, os verdadeiros executores. Na terceira versão, Jossiel apontou dois outros nomes como os assassinos dos americanos e disse que teria recebido um cheque de R$ 7 mil que não teria sido descontado.

O resultado do exame realizado na arma que teria matado o casal Staheli, um pé-de-cabra entregue pelo caseiro Jossiel Conceição dos Santos à polícia, revelou que o sangue encontrado na ferramenta não era do casal, mas encontrou vestígios de sangue de outras três pessoas. O exame feito no sangue encontrado nas roupas do caseiro também deu negativo. Um exame realizado na suposta arma do crime, um pé-de-cabra entregue por Jossiel à polícia, revelou que não havia sangue das vítimas. Agora a Polícia quer comparar o material retirado das unhas de Michelle Staheli com o sangue de Jossiel.