Apelos não impedirão execuções, diz autoridade iraquiana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de janeiro de 2007 as 21:00, por: cdb

A pressão internacional contra a execução de mais dois condenados à morte no julgamento de Saddam Hussein não impedirá o cumprimento da sentença, segundo afirmou uma autoridade iraquiana à imprensa internacional nesta quinta-feira.

Na quarta-feira, o novo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, apoiou o apelo feito pela alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Louise Arbour, para que o Iraque não executasse os dois condenados.

Segundo o deputado Sami al-Askari, a lei iraquiana não permite que a pena de morte seja revista, nem mesmo pelo presidente do país. Nenhuma data ainda foi confirmada para a execução do ex-chefe do serviço de inteligência iraquiano Barzan Ibrahim al-Tikriti, meio-irmão de Saddam, e do ex-chefe da Corte Revolucionária do Iraque Awad Hamed al-Bandar.

Mas acredita-se que os dois poderiam ser enforcados ainda nesta quinta-feira, quando termina o festival religioso muçulmano do Eid al-Adha.

Os três réus foram condenados à morte por um tribunal iraquiano no dia 5 de novembro, devido à participação no assassinato de 148 pessoas, a maioria xiitas, na cidade de Dujail, em 1982.
Saddam foi executado por enforcamento no sábado, em Bagdá.