Aos 90, Caymmi é cantado pelos filhos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de março de 2004 as 17:21, por: cdb

No final da década de 30, o americano Wallace Downey, produtor das famosas chanchadas, havia escolhido duas músicas de Ary Barroso para serem interpretadas por Carmem Miranda no filme Banana de Terra. No último minuto Ary pediu mais dinheiro para liberar as músicas, Downey disse não e escolheu uma nova música para Carmem, O que é que a baiana tem. Foi assim que o baiano de Salvador Dorival Caymmi começou a ser conhecido pelo público brasileiro e abriu as portas para se tornar um dos maiores compositores de nosso cancioneiro.

Caymmi se notabilizou cantando a Bahia, como em Samba da minha terra, onde canta o famoso verso “Quem não gosta de Samba/ Bom sujeito não é/ É ruim da cabeça/ Ou doente do pé”, e musicando o mar, como em É doce morrer no Mar, dos versos imortais “É doce morrer no mar/ Nas ondas verdes do Mar”.

Suas músicas estão entre as mais conhecidas da MPB. Com letras curtas, versos simples e lirismo único, Dorival conquistou o meio musical. Não bastasse toda a sua obra, Caymmi deu ao Brasil três grandes músicos, seus filhos Nana, Dori e Danilo Caymmi.

Os três já haviam cantado juntos em shows e discos da família Caymmi, mas pela primeira vez se reuniram para cantar o pai. O CD chega as lojas no final do mês e traz apenas sambas de Dorival. No projeto os três cantam dos sambas mais conhecidos aos esqueciddos.

Segundo eles, a idéia de fazer o CD surgiu de uma vontade de comemorar os 90 anos do pai. Ele não sabia do projeto, mas já ouviu e aprovou o disco. Os irmãos também vão realizar um show no Canecão, no Rio, onde será gravado um DVD.

As homenagens não param por aí, até o final do ano um songbook e uma caixa de CDs serão lançadas em comemoração as 9 décadas de vida de Dorival.