Antigo sistema secreto movimenta o dinheiro em torno do mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 3 de outubro de 2001 as 12:47, por: cdb

Com nada além de um telefone e um fax, Tarir Khan transfere dinheiro para quase qualquer lugar no mundo. Não são feitas perguntas, não há nomes envolvidos e muito menos pistas para as forças policiais seguirem. Khan é um pequeno ponto em uma extensa rede bancária informal conhecida como “hawala”, a palavra em árabe para “confiança”. Esta atividade é ilegal em várias partes do mundo, inclusive aqui, no Paquistão, mas as autoridades calculam que bilhões de dólares são transferidos por estas pessoas através do sistema “hawala” em torno do mundo.

Um graduado funcionário do Paquistão disse que as autoridades policiais daquele país acreditam que a organização de Osama bin Laden usa a “hawala” para transferir dinheiro aos seus agentes fora do Afeganistão, juntamente com meios convencionais. Mas a própria natureza da “hawala” torna a busca a estes recursos praticamente impossível. Aqui, no Kandahari Bazaar, concentram-se muitos representantes da “hawala”, em um edifício de cinco andares, construído em concreto armado que mais parece um “bunker”. No interior é escuro e os escritórios são iluminados por apenas algumas lamparinas. Luz suficiente apenas para que Khan anote as suas transações em um caderno de capa marrom. Quando recebe um telefonema confirmando a entrega do dinheiro, em algum país nos cinco continentes, ele apenas destaca a página de seu caderno, rasga e joga no lixo.

– O tráfico de drogas, políticos que querem enviar dinheiro sujo para fora do país ou qualquer outro tipo de transação obscura utiliza os serviços do “hawala” – afirma Kamram Mumtaz, editor do diário Mashriq, de Quetta.

As autoridades encontraram evidências de que a “hawala” foi utilizada para o pagamento de despesas de grupos militantes nos territórios em disputa na Caxemira e aos Tigres Tamil no Sri Lanka. “Este é um meio muito conveniente de se transferir dinheiro”, disse Mumtaz. “Além de ser muito difícil de se rastrear qualquer quantia que seja, desde algumas centenas de dólares a alguns milhões”, conclui.