Anthony Garotinho quer depor na CPI do Propinoduto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 19:56, por: cdb

Em resposta às denúncias feitas por deputados petistas ao Ministério Público contra sua gestão à frente do governo do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB) afirmou nesta sexta-feira que, “em defesa de sua honra e reputação”, autoriza a quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de suas contas. O ex-governador disse também que os petistas agem com métodos fascistas.

Além disso, Garotinho pediu para depor à “CPI do Propinoduto”, instalada na Assembléia Legislativa fluminense para apurar irregularidades na Secretaria de Fazenda.

“Os parlamentares do PT acusam sem provas, condenam sem defesa e agem com os mesmos métodos fascistas dos regimes autoritários”, diz a carta assinada pelo ex-governador e encaminhada ao deputado Paulo Mello (PMDB), que preside a CPI, e à Procuradoria Geral de Justiça do Rio.

Na semana passada, o Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar denúncias de improbidade administrativa no governo Garotinho, acatando representação dos deputados petistas Alessandro Molon (estadual) e Antonio Carlos Biscaia (federal).

O PSB também articulou uma contra-ofensiva e anunciou hoje que o deputado estadual Noel Carvalho (PSB) entrará com uma ação no Ministério Público Estadual contra a ex-governadora petista e atual ministra Benedita da Silva (Assistência Social). Segundo Carvalho, ela teria comprado títulos públicos federais da Rio Previdência por valores acima do mercado.

A CPI investiga denúncias de cobrança de propina por parte dos fiscais do governo em troca da anistia de multas milionárias. Hoje estão sendo ouvidos cinco fiscais que trabalharam nas inspeções à Rio de Janeiro Refrescos Ltda., engarrafadora da Coca-Cola no Estado.