Angra terá patrimônios históricos com iluminação artística

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de dezembro de 2005 as 12:39, por: cdb

O turismo de Angra dos Reis, um dos paraísos ambientais da costa brasileira, terá reforço de peso neste verão, já que o Governo do estado, com a Prefeitura de Angra dos Reis e o grupo francês EDF, inaugura dois dos primeiros projetos de iluminação artística para patrimônios históricos da região.

Nessa sexta-feira, às 20h, é inaugurada a iluminação artística da Igreja e Convento de São Bernardino de Sena e da Capela da Ordem Terceira de São Francisco, tendo como madrinha Denise Lobato, esposa do empresário Antônio Carlos Lobato, presidente da Marina Verolme.

No sábado, no mesmo horário, será a vez da Igreja de Nossa Senhora da Lapa da Boa Morte e a madrinha será a juíza Alda Soares.

A igreja e convento e a capela começaram a ser construídos em 1758, sendo inaugurados em 1763, em substituição ao antigo convento franciscano da “Cachoeira”, conta o secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo, Wagner Victer, acrescentando que a singularidade da arquitetura da Igreja de São Bernardino de Sena, reformada recentemente, contrasta com as robustas arcadas e paredes do convento e ruínas que poderão ser vistas de diversos pontos da cidade.

– Portanto, o projeto de iluminação, que foi aprovado pelo IPHAN, tem a intenção de valorizar as características arquitetônicas e históricas de cada uma das construções. No caso do convento, a iluminação artística baseia-se no destaque de toda a construção do convento com um “véu” de luz em tonalidade de “branco quente”. Já na Igreja de São Bernardino, o frontão e a espadaña (construção que substitui a torre sineira) receberão tratamento diferenciado, com iluminação mais “quente” do que a utilizada no véu, fortalecendo o destaque entre as construções e a observação gradual do conjunto. A galilé, o campanário e o arco superior da espadaña serão realçados por luzes azuis. As cruzes serão destacadas em contra-luz, da mesma forma que as faces laterais da igreja – explica o secretário.

Os lampiões, em postes instalados na ladeira e na rua à frente do convento, receberão refletores na sua parte superior, garantindo maior eficiência do conjunto arquitetônico.

Já o muro de pedras que baliza a ladeira ao lado do convento receberá iluminação dourada, que garante efeito especial quando adotada em pedras de tonalidades escuras.

O cruzeiro, situado na base da ladeira, também receberá iluminação especial.

Quanto à Igreja de Nossa Senhora da Lapa da Boa Morte, inaugurada em 1752, que atualmente abriga o Museu de Artes Sacras de Angra dos Reis, o projeto de iluminação artística consistirá em um véu de luz dourada em toda a fachada.

Já a espadaña e a rosácea do frontão receberão leve tom de vermelho.

Victer destaca que os recursos para estes projetos são oriundos de contrapartidas à concessão de incentivos do governo estadual para a implantação da Usina Termelétrica Norte Fluminense, instalada em Macaé e pertencente ao grupo estatal francês de energia EDF.

O projeto de iluminação artística das igrejas de Angra dos Reis, de acordo com o secretário, foi pedido feito pelo prefeito Fernando Jordão à governadora Rosinha Garotinho e se integra aos projetos realizados em Paraty e em Mangaratiba, valorizando toda a Costa Verde.

O secretário observa que até o momento foram realizados 30 projetos de iluminação artística em 18 municípios fluminenses, buscando de forma equilibrada valorizar a cultura e os patrimônios históricos instalados no Estado do Rio de Janeiro.

Os últimos projetos de iluminação artística beneficiaram cinco monumentos históricos em Paraty e a Igreja Matriz de Mangaratiba, municípios da Costa Verde.

Receberam também iluminação artística o Palácio de Cristal e a Catedral de São Pedro D’Alcântara, em Petrópolis, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, a Casa França-Brasil e o Palácio Pedro Ernesto (Câmara de Vereadores), e o Forte São Matheus, em Cabo Frio, na Costa do Sol.

Estarão presentes a