Andifes comemora concurso para mais 2.500 mestres

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 14 de janeiro de 2005 as 11:11, por: cdb

A presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior) e reitora da Universidade Federal de Minas Gerais, Ana Lúcia Gazzola, classificou como “bem vinda” a autorização de concurso, pelo governo federal, para contratar 2.500 professores para universidades federais.

No entanto, ela ressaltou que “está claro que essas vagas, mesmo na totalidade prevista até 2006 [6.000 vagas], são insuficientes para a reposição de nossos quadros e para garantir a expansão do sistema”.

Sobre a diminuição dos quadros de docentes, Ana Lúcia citou processos como o PDV (Programa de Demissão Voluntária) e a própria reforma da previdência. Os professores acabaram se aposentando antes do que gostariam com medo de perder benefícios salariais.

Além disso, ela cita que, mesmo com a redução dos número de professores, a rede federal de ensino superior cresceu em número de cursos de graduação e pós, em educação a distância, em pesquisa científica e em atividades de extensão.

Segundo a reitora, as Ifes (instituições federais de ensino superior) precisam de mais 3.000 vagas para completar o processo de reposição dos quadros docentes. Apesar das críticas, Ana Lúcia ressaltou que “em dois anos o governo Lula colocou mais vagas em concurso do que o governo anterior o fez em oito anos”. A reitora informou também que já foi feita ao presidente pedido para a liberação automática de vagas para concurso nos casos de exonerações.