Anatel rebate declarações da Telefônica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 31 de agosto de 2001 as 20:32, por: cdb

O vice-presidente da Anatel, Luiz Francisco Perrone, rebateu as declarações recentes à jornalistas feitas pelo presidente da Telefônica, Fernando Xavier Ferreira, de que a agência reguladora não poderia exigir que as concessionárias atendam a localidades com mais de 200 mil habitantes em sua área de atuação.

“Eu concordo que o momento internacional não é o melhor, mas acho que quem não pode investir observando essas exigências, também não poderia investir sem elas”, devolve Perrone.

O presidente da Telefônica havia declarado em entrevista recente, que a decisão do órgão de obrigar as concessionárias interessadas em explorar outros serviços fora de suas áreas de cobertura a atenderem também localidades com mais de 200 mil habitantes implica em duplicidade de investimentos, o que não seria condizente com a crise econômica intenacional.

Segundo Perrone, “é viável e factível uma companhia do porte das concessionárias (Brasil Telecom, Telemar, Embratel e Telefônica) assumir uma região inteira. Além disso, elas têm três anos para atingir as metas”. Quanto ao fato das espelhos terem a opção de explorar somente as áreas de numeração, o vice da Anatel explica que essas empresas não são tão fortes quanto as concessionárias.

O vice-presidente da agência revela ainda que as únicas concessionárias que terão tratamento semelhante ao dado para as espelhos serão a CTBC Telecom e Sercomtel. “Elas receberão esse tratamento porque são pequenas”, justifica.

O vice-presidente da Anatel lembrou que, além das concessionárias, as empresas-espelho também terão de antecipar metas. “No caso das espelhos, a meta é a abrangência estabelecida para o final de 2002”, enfatiza.